Teonanacatl

Aqui discutimos micologia amadora e enteogenia.

Cadastre-se para virar um membro da comunidade! Após seu cadastro, você poderá participar deste site adicionando seus próprios tópicos e postagens.

Em Andamento Clonegu #2, o Fim de um Isolamento via CL - MDK PF Tek

Diário de cultivo em andamento.

Informação geral

Raça(s)
mdk
Inoculação
13/09/2021
Inoculação via
Seringa de Cultura Líquida
Assepsia (Inoculação)
Tampa de forno de fogão ligado, fogo de boca pra flambagem das seringas
Terrário
Garrafa PET
Técnica(s)
PF Tek, Feitura de Seringa a partir de Cultura Líquida
Substratos
Farinha de arroz integral + vermiculita + água (2:1:1)

Tek Usada:​


Bem, bora simplificar: tudo feito no padrão PF Tek.

Eis os tópicos com os tutoriais pra todas as fases do cultivo (que vão gerar o tão mas ainda não lançado guia-simplificado de PF Tek atualizado):
  1. Destaque - Atualização PF Tek 2020 - Substrato
  2. Tutorial - Atualização PF Tek 2020 - Inoculação
  3. Tutorial - Atualização PF Tek 2020 - Feitura do Terrário de Garrafa Pet
  4. Tutorial - Atualização PF Tek 2020 - Do Aniversário à Colheita
  5. Atualização PF Tek 2020 - Secagem, Conservação e Consumo
  6. Tutorial - Atualização PF Tek 2020 - Feitura de Carimbo e Seringa

Na feitura do substrato:​

  • Não usei máscara, nem álcool, nem luva, nem touca, nem nada. O substrato será submetido a autoclave, não tem porque ter preocupação com assepsia na hora de fazer o substrato. Basta a mesma higiene que você teria cozinhando pra si mesmo. Por fim, tapei os copos com tampas de requeijão furadas do cultivo anterior.
  • Não se preocupe se tiver ferrugem dentro das tampinhas porque o Cubensis adora ferrugem, come ela e forma um micélio bem consistente.
  • Após a vedação - que não é hermética nem de nível empresarial e não evita então a troca de ar e umidade entre o interior do copo com o da PP. Assim, por qualquer argumento que seja, ocorre a autoclave lá dentro, mesmo que não haja furos em cima do vedamento.
  • E, claro, nos furos coloquei micropore pra ajudar na hora de tirar da PP a não contaminar, assim como a...
  • Camada de vermiculita. Ela tem duas funções: ajuda a não contaminar na inoculação/colonização e ajuda na fase de frutificação também pra apoio e também como área de maior pinagem em bolos mais secos. Entre outros benefícios, procurem sempre ter a camadinha de vermiculita.


IMG-20210902-WA0082.jpeg --> isso aí, mistura primeiro a vermiculita com água. Depois então a FAI. Pega uma colher e enche os copos. Aí completa com vermiculita pura. Limpa as beiras com o dedo mesmo. Depois faz a vedação que quiser dos copos.


Feitura das Seringas e Inoculação​


Bem, lá nos idos de 2016 eu resolvi fazer uma Cultura Líquida com vistas a gerar uma tentativa de isolamento. Pra isso, ela teria que pelo menos passar por 2 ou 3 clonagens. A primeira não sei se fiz diário, mas a segunda registrei neste diário: Completo - CLonegu #1 - Clonagem simples via CL - MDK - PF Pet Tek - 13º Cultivo, datado do ano passado. E aí o passo final pra parar de tirar CLs e finalmente ter os carimbos "bombados" de um bom (quase?) isolamento de uma genética que já era top.

É hora da colheita! Pela terceira vez, kkk, mas chegou!

:teo_atencao: Pra quem tiver dúvida sobre conservação de genética, a dica é Cultura Líquida. O micélio fica vivo sem prazo definido dentro da geladeira e sobrevive por anos. Foi graças a isso que não perdi essa genética, pois sou muito preguiçoso e não me mantive recultivando durante um certo período.

1 - FEITURA DAS SERINGAS
20210824_130233.jpg --> primeiro, quero contar que descobri que existem agulhas maiores e mais grosas do que as nossas queridinhas rosadas: as brancas!!! Elas fazem um micélio ir e vir com a maior facilidade da CL para dentro da seringa, e da seringa pra dentro dos copos!!! É muito rara de achar, mas se acharem, e forem fazer CL, comprem, vale muito a pena pra simplificação. Já pra seringas feitas de carimbos, a ponta rosa está mais que suficiente, pois não há blocos de micélio, apesar os esporos microscópicos.
20210913_225756.jpg--> e aqui as 3 seringas feitas da CL que é amarela porque foi feita com mel. A cor do micélio também fica afetada por estar dentro do mel há tanto tempo, mas é Cubensis saudável. Mesma coisa ocorreu com a CL anterior, e deu tudo certo. Fiz então logo 3 seringas. Usei uma e meia pra 6 copos - um exagero, mas tudo bem, tenho de sobra e como não é ME, não vai gerar grande disputa do substrato por muitas eclosões.

Como podem ver, tudo de assepsia eu faço em cima da tampa da boca do forno ligado do fogão. Neste caso, foi a estreia desse novo fogão, que esquenta que só o capeta kkkk mas ok, bora lá!

2 - INOCULAÇÃO DOS SEIS COPOS
20210913_231955.jpg--> os copos já inoculados, datados (não precisa colocar MDK porque são todos iguais) e com uma nova camada de micropore nos furos que foram reabertos pela seringa. As seringas que restaram foram embrulhadas em papel alumínio para armazenamento. E a CL foi novamente vedada, fechada num saco plástico e devolvida à geladeira, onde vive desde o ano passado com sua CL da geração anterior.

Entre a feitura do substrato e a inoculação se passaram 8 dias porque sou de fato preguiçoso. O lado bom é que nesse período qualquer contaminante interior já teria eclodido. Agora, se algum contaminante surgir, será pelas seringas ou pelo local de incubação.

Bem, o processo de inoculação foi então simples:
  • Uso de máscaras, luva e toucas cirúrgicas após colocar os micropores já cortados na parte superior do fogão pra facilitar na hora de os colocar após inocular;
  • Panelas limpas em superfície com álcool e abertas sobre a tampa do forno para que os copos saíssem já no ambiente relativamente controlado do local de trabalho asséptico;
  • Flambagem das agulhas antes do primeiro copo e antes de passar pro próximo copo. Usei novamente uma boca do fogão mesmo para aquecer a agulha até o avermelhamento. Antes de inocular, dava uns tapinhas na seringa embaixo até que o líquido saísse sem evaporar;
  • Inoculação em dois pontos;
  • Finalmente colocação da camada de micropore nova sobre a anterior que foi perfurada. Neste momento, retiro pelo menos as luvas para poder manipular o micropore sem sofrência.
  • Datação dos copos.
E então pra geladeira-incubadora:
20210913_232151.jpg --> acabei de ligar ela ao colocar os copos inoculados. A luz embaixo é incandescente para aquecimento da geladeira, e coberta com alumínio pra que o aquecimento se dê melhor e mais uniforme.


E pronto! Agora é esperar até que os micélios comecem a se expandir e fiquem novamente visíveis. Neste caso, não há eclosão, pois inoculei micélio diretamente.

Até em alguns dias, galerinha!!! :D

Informação do Diário

Adicionado por
ExPoro
Visualizações
70
Última atualização

Mais em Psilocybe Cubensis

Share this Diário

Top