Melhoramento de genética dos cogumelos

Kaedere

Esporo
Membro Novo
Tá aí uma questão que cabe uma grande discussão compartilhamento de experiencias, técnicas, conhecimentos, resultados, etc, e eu nunca vi sendo falada, nem aqui e nem na gringa, e EU NÃO SEI PORQUÊ!
KK

Eu dei até uma pesquisada antes pra saber se o que eu estava pensando era realmente o que eu estava pensando, e aparentemente é sim. Esporos carregam o código genético do corpo de frutificação que os gerou.

Sério, isso martela muito na minha cabeça, principalmente por cultivarmos de uma forma onde o objetivo é gerar o máximo de produtividade e é buscado o mínimo de pressão para o desenvolvimento do micélio.
Chega ao ponto das coisas não parecerem mais naturais pra mim. Colocar o copo com alumínio e deixar na panela de pressão por meia hora meio que tira o feeling.
Sei que é super necessário e seria a última coisa que eu sacrificaria. Só to dando um exemplo dentro da minha utopia.

Meu ponto aqui não é criticar nada disso, mas sim o desinteresse geral da nação em tentar criar cogumelos melhores. É tão facinho...
Nem sobre selecionar carimbos dos cogumelos maiores, que crescem mais rápidos, mais saudáveis... (e assim vai. fica ao seu critério a seleção) eu vejo sendo falado.

Criar uma pequena porção de cogumelos em um canteiro separado, com menos cuidado, onde dali seria selecionado os cogumelos que conseguiram se desenvolver.

É naturalmente um processo que demora muito, mas fazendo isso por gerações seria possível ver mudanças significativas no que tange metabolismo, resistência e produtividade.

Sério (não, não é sério k), me ENOJA ver que o maior esforço na seleção genética de um cogumelo vem pela "ain, queru essa corzinha X ou Y" e não pela eficiência.
Me lembra na hora da criação de cachorros ou cavalos, onde pra preservar as características externas da tão aclamada "raça", é deixado de lado a saúde do animal, criando com o tempo animais torpes, fracos, com sofrendo com doenças crônicas e morrendo mais rápido (como é o caso de alguns bulldogs).

Enfim, sintam-se livres pra comentar, acrescentar, discordar, fazer críticas construtivas... Meu desejo mesmo era alguém vir me xingar de cogumelista nazista.
 

S-martinowski

1984
Membro Ativo
me ENOJA ver que o maior esforço na seleção genética de um cogumelo vem pela "ain, queru essa corzinha X ou Y" e não pela eficiência.
Bem, não vejo esse esforço/busca por estética mais do que potência e produtividade por aqui no Teo. Mas concordo que poderiam fazer um tutorial com todas as melhorias genéticas assim como suas principais técnicas. Você bem que poderia fazê-lo aproveitando que é facinho. Eu por exemplo estou numa empreitada para clonar um primogênito gigante de meu último cultivo. Tudo aprendido aqui, queimando pestana e estudando. À proposito, sou amante de todas as formas dos nossos queridos fungos (estou estudando para produzir até os comestíveis) e não se sinta enojado por preferências estéticas, todos os chapeludos são bem vindos. Caso encontre algo do gênero me manda o link sobre como mudar essas características (como a cor) pois tenho interesse em saber como também.
Sucesso @Kaedere 😀
 

Texugo

Hifa
Membro Ativo
Depois de tudo que você falou, me resta uma dúvida.
Como você pensa em medir a potência de um cogumelo?

Por isso que não tem busca pela potência.
É muito mais fácil eu cultivar mais.

onde o objetivo é gerar o máximo de produtividade e é buscado o mínimo de pressão para o desenvolvimento do micélio.
Eu não tenho o objetivo de atingir o máximo de produtividade, não to preocupado em vender.
Minha preocupação seria até diminuir, assim tenho sempre cogumelos frescos e não um estoque de 500kg de secos.
Se eu quero mais potência, consumo mais, é rápido e fácil de cultivar.
Quando cultivo por 1 mês, 1 caixa organizadora produz o suficiente pra pelo menos 6 meses.

Nem sobre selecionar carimbos dos cogumelos maiores, que crescem mais rápidos, mais saudáveis...
Ai você tem algo bem inconsistente.
Um carimbo são milhares de genéticas, você escolher tirar o carimbo apenas dos maiores não quer dizer nem de perto que vai ter mais produtividade.
Se você quiser fazer clonagem, o beneficio é padronizar o tamanho e a velocidade de cultivo, mas a potência você vai continuar não sabendo.

Suas ideias estão muito teóricas e não condizem com a realidade.
Talvez demasiadamente lamarckistas.
Você ficar reproduzindo esporos não vai trazer muitas adaptações visivelmente benéficas.

Se é facinho, você pode ensinar os micologistas e quem sabe disponibilizar um meio de "testar"a quantidade de psilos.
Tem ate estudos falando que os efeitos não vem só delas, o que torna a analise ainda mais complicada.

Eu gosto de selecionar meus taman negara pela aparência deles. (com clonagem)
Acho que tem sua beleza diferenciada e me deixa feliz.
Acho um ótimo motivo para fazer isso e nao consegui entender a ideia do cavalo, que são totalmente distintos. (Não sei se você já viu de perto um "garanhão" selecionado, mas ele é bem forte kk por isso o sêmen vale milhares de reais)
Os cogumelos continuam bem saudáveis.
 

Nitive

Esporo
Membro Ativo
Posso estar errado se estiver alguém por favor me corrija, segundo já estudei existe diversos melhoramentos/seleções genéticas(os), e não apenas em cor X e Y, na verdade se tu não colheu um carimbo da natureza (e ainda assim pode ser uma "genética" de outro lugar que se adaptou ali naquele ambiente) o que você está cultivando já passou por tal processo seja para se adaptar a um clima específico, técnica de cultivo específica, aparência específica, tamanho, vigor, frutificação, etc.
Vamos lá TKS da Tailândia de Koh Samui, dúvido que teu carimbo tenha sido colhido lá, enfim, seguimos com TKSS uma versão desenvolvida para ter um vigor maior e ser mais resistente, aí dela temos White Fever uma seleção pela cor.
PF Classic, teoricamente a melhor para a técnica PF (arroz e vermiculita), e PF Albino, cor.
Pente Envy, aparência? O fato de serem mais densos e resultar em maior volume seco? Potencia? Enfim, daí temos o PE 6 uma cruza com outra espécie para melhorar a coleta de esporos e manter outras características, ou PE Albino pela cor.
Eu creio que por carimbos podemos ir fazendo uma seleção específica seguindo padrões de aparência apenas, visto que não tem como ficar medindo potencia tão simplesmente, potencia pode estar relacionado a várias coisas além da genética acredito, já notei diferenças nítidas de um flush para outra no quesito potencia, então isso nunca vai ser um parâmetro viável, mas voltando a aparência, de uma olhada em cultivos de TKSS via ME a maioria tem variações genéticas visíveis, creio que assim como foi "criado" (selecionado) white fever a partir de carimbos e cultivos selecionados por cor, poderia se fazer também como tentar isolar os fat-asses do TKSS e virar uma nova strain isso se já não tenha sido feito, outra coisa que daria para ir "selecionando" via carimbos e cultivos é a adaptação ao clima (temperatura, não vamos conseguir em um ambiente de deserto sem umidade mais isso deve ser óbvio para a maioria), enfim inocule 10 copos e deixe incubando em temperatura ambiente em algum canto da casa, anote tempos de colonização, siga para terrário em temperatura ambiente (mantenha umidade e troca gasosa), veja qual se desenvolve melhor em quantidade tamanho ou tempo, colha carimbo do escolhido, e volte a inocular 10 copos e mantenha na mesmas situações ( de preferência na mesma época/estação, sim tu ainda pode desenvolver uma genética para o verão outra pra o inverno), após alguns cultivos provavelmente tu estará com uma "sub-genetica" apropriada para teu cultivo.
Após isso creio que ainda de para tentar selecionar uma que se de melhor com os contaminantes do ambiente cultivando sem filtros ou outdoor.
Edit: foto início pinagem "casing" out.
camadas: vermiculita, arroz colonizado, vermiculita, terra argilosa/húmus/brita/folhas secas.
 

Anexos

Última edição:

Texugo

Hifa
Membro Ativo
processo seja para se adaptar a um clima específico, técnica de cultivo específica, aparência específica, tamanho, vigor, frutificação, etc.
Seria a estabilização da strain, não necessariamente fica melhor do que na natureza.
Mas para aqueles parâmetros ela é melhor.
Não falaria em adaptação, mas sim seleção do esporo mais resistente.
Adaptação é um termo bem simplista pro assunto, você seguindo a evolução, ela é aleatória, na sorte que traz benefícios.
O cogumelo não se adaptou e ficou mais resistente a temperaturas mais frias/quentes, mas sim o esporo mais viável teve mais sucesso (isso é questão de muito tempo).

Você pode notar isso porque qualquer strain tem praticamente os mesmos parâmetros, não tem nenhuma que seja melhor em temperaturas menores que 15 C.

White Fever uma seleção pela cor
Nem todas as strains "albinas" são estáveis, você cultiva uma vez saem brancos, na outra sem normais.
Depende o nível da mutação.
A a+ é uma strain leucistica, que é uma característica que segue para as próximas gerações. (pelo menos é o que os cultivadores relatam, mas não é uma certeza)
Já cogumelos realmente albinos (completamente sem cor, inclusive esporos) a chance de vir com cor é mais alta.

PE 6 uma cruza com outra espécie para melhorar a coleta de esporos
Uma strain bem controversa, tendo em vista que dificilmente nascem com o formato do penys envy.
Peguei um carimbo no FSE e cultivei 5 ms, tudo normal.
O próprio idealizador afirmou que liberou muito cedo (mas não quer dizer que o resultado seria melhor se continuasse).

fat-asses do TKSS e virar uma nova strain ]
Normalmente fat-asses são questões do ambiente, alterações apenas no fenótipo, devido as condições.
Quando você regula o cultivo, eles somem. Mesmo quando clonados.

PF Classic, teoricamente a melhor para a técnica PF
Vejo isso mais como um 'marketing" do que realidade.
Pela importância do professor.

Enfim, cultivar apenas a mesma strain traz benefícios, mas nada que seja notável e consistente para todos os cultivos posteriores.

A maior dificuldade no cultivo de comestíveis é a temperatura.
Eu já tentei, muitos já tentaram aumentar a temperatura de cultivo dos shiitake, mas ninguém teve sucesso até agora.
Mesmo que seja pouca diferença na temperatura.
 

Kaedere

Esporo
Membro Novo
Certo, vamos por partes...

Primeiro, deixar claro que minha intenção de forma alguma é ofender alguém ou a coisas que vocês gostem ou acreditam. E eu também fui irônico em algumas partes, não leve a sério coisas que parecem estar muito exageradas.

Segundo, eu sou leigo nos cogumelos, sempre quis deixar isso claro. Tenho certeza que vocês vão ter mais conhecimento que eu quando o assunto é cogumelo.

Minha única intenção com essa thread foi promover esse debate do qual eu gosto muito, me interesso e nunca vi sendo falado.


1-
Bem, não vejo esse esforço/busca por estética mais do que potência e produtividade por aqui no Teo
Eu não falei que isso acontecia aqui no Teo, ou até mesmo aqui no Brasil.
Na verdade quando citei esse fato, citei pensando na história do cogumelo albino. E também posso pensar em outros exemplos.

2-
esse esforço/busca por estética mais do que potência e produtividade
Como você pensa em medir a potência de um cogumelo?

Por isso que não tem busca pela potência.
Galera, acho que vocês perderam o ponto aqui.
Não é sobre potência que estou falando.

Eu não citei essa palavra, mas isso nem importa.
Eu definitivamente não pensei em potência quando escrevi o texto.

3-
Mas concordo que poderiam fazer um tutorial com todas as melhorias genéticas assim como suas principais técnicas.
Com certeza. Eu também concordo.
É uma área muito intocada ainda. Saber o que funciona ou não e quais os melhores caminhos se tomar seria uma ótima iniciativa. Principalmente pra comunidade cultivadora, que fazendo isso em grupo, eu acredito que poderia promover melhores strains para todos.

4-
Você bem que poderia fazê-lo aproveitando que é facinho.
Certo, aqui há um pouco de ironia, mas realmente há um ponto de interpretação nisso que eu falei.
É fácil como uma fórmula, mas eu mesmo disse que é um processo lento.
Digo que é uma fórmula no seguinte sentido: há um caminho que nunca irá mudar, isto é, selecionar seus melhores "frutos". Assim como humanos fizeram por centenas de anos, não intencionalmente, e hoje temos frutas rechonchudas e suculentas, but more on that later.

Meu ponto é: não.
Só de promover essa discussão eu já estou satisfeito.

Eu deixo o resto com quem é profissional e tem tempo pra esse tipo de coisa.

5-
e não se sinta enojado por preferências estéticas
Cara, eu coloquei em todas as palavras que eu não falei sério.
Não sei como deixar mais claro.

Você pode preferir a estética e eu estou totalmente ok com isso.

Caso encontre algo do gênero me manda o link sobre como mudar essas características
Aquele que deixei no post foi o único que eu vi. Não fui além disso.

7-
principalmente por cultivarmos de uma forma onde o objetivo é gerar o máximo de produtividade e é buscado o mínimo de pressão para o desenvolvimento do micélio.
Eu não tenho o objetivo de atingir o máximo de produtividade, não to preocupado em vender.
Minha preocupação seria até diminuir, assim tenho sempre cogumelos frescos e não um estoque de 500kg de secos.
Se eu quero mais potência, consumo mais, é rápido e fácil de cultivar.
Quando cultivo por 1 mês, 1 caixa organizadora produz o suficiente pra pelo menos 6 meses.
Certo, nessa parte eu meio que pulei algumas coisas pra deixar o post mais curto.
É bom que tenha aparecido um post desses pra eu explicar melhor.

Primeiro: produção ≠ produtividade
Um vendedor vai querer produção, e todos nós vamos querer produtividade.

E a produtividade não é um problema.

Nesta parte estou discorrendo sobre o método que usamos pra atingir ela.

"Você tá dizendo que o método está errado, senhor sabichão? Você está dizendo que não se deve usar o método, seu bostinha?"
Não.
Estou apenas analisando o fato e as consequências que decorrem dele.

A consequência é: não há melhoramento genético por pressão seletiva (https://g.co/kgs/phqr2x)

O ambiente vai ser o mais propício possível para o cogumelo devido a maior produtividade. E não tem problema nenhum nisso!
Hehe.
Até porquê o que eu proponho é ter uma parte separada, num canteiro, para impor as condições climáticas e biológicas, de fauna e de flora da gloriosa republica federativa do Brasil!

Agora ATENÇÃO

No texto de abertura da thread, eu dividi o melhoramento genético podendo ser feita de duas formas:

1- Por pressão seletiva (esse que eu acabei de falar)

2- Por pressão seletiva artificial (é esse que eu prego que deveria ser feito)

Isto é: você seleciona de qual cogumelo você irá tirar o carimbo de esporos.

E é nesse tipo que eu mais bato a tecla, porque:
-É simples. Não muda a forma com que se produz, seria apenas um hábito
-Tem mais chances de dar certo, visto que não se muda o habitat do amado cogumelin
-Você consegue moldar pra aquilo que você quer (metabolismo, biomassa por cogu (a.k.a. tamanho do cogumelo), etc, etc...


Eu me afundei no tempo respondendo, Vou ser mais curto e grosso agora.

Ai você tem algo bem inconsistente.
Um carimbo são milhares de genéticas, você escolher tirar o carimbo apenas dos maiores não quer dizer nem de perto que vai ter mais produtividade.
Se você quiser fazer clonagem, o beneficio é padronizar o tamanho e a velocidade de cultivo, mas a potência você vai continuar não sabendo.
Meu esperma tem vários espermatozoides com variadas genéticas, isso não quer dizer que não há grandes chances do filho parecer comigo. Ou dividir características genéticas, pra ficar no cientifiquês claro.

E sim, isso não seleciona potência, até porque em momento nenhum eu falei sobre isso.

Pra selecionar potência tem que selecionar os cogumelos mais potentes.
A tendencia dos cogumelos potentes é gerar descendentes com semelhante potencia. Notou o tendencia e semelhante? Isso porque se não houvesse esses pequenos graus de diferenciação, nem evolução haveria.


Suas ideias estão muito teóricas e não condizem com a realidade.
Talvez demasiadamente lamarckistas.
Você ficar reproduzindo esporos não vai trazer muitas adaptações visivelmente benéficas.
Talvez demasiadamente lamarckistas.
Eu vou tentar ser bem claro.

cogumelo mais próximo da característica X > seleciona ele >descendentes dele > por acaso, há um descendente mais próximo ainda da característica X > seleciona esse > repete o processo

Se é facinho, você pode ensinar os micologistas e quem sabe disponibilizar um meio de "testar"a quantidade de psilos.
Tem ate estudos falando que os efeitos não vem só delas, o que torna a analise ainda mais complicada.
Aqui de novo falando coisa que nem existe no texto.

Sim, psilo é difícil de selecionar porque ela não é uma característica visível, simplesmente por isso.

Se for pra me atacar, pelo menos faz com algo que eu escrevi.

Acho um ótimo motivo para fazer isso e nao consegui entender a ideia do cavalo, que são totalmente distintos. (Não sei se você já viu de perto um "garanhão" selecionado, mas ele é bem forte kk por isso o sêmen vale milhares de reais)
Eu falei de um efeito bem conhecido.
Você não interpretou corretamente do que se trata.


Enfimmmm...

Digitei de mais. Não consigo ser curto. Vou parar as respostas por aqui.
Só mais uma estorinha e um fato histórico.
Ajuda a elucidar o que estou falando.
Fui só mal interpretado. Perdi a fé na humanidade :eek:


Em um mundo desconhecido, o homem nasce com os rios para beber, com os peixes para pescar, com as frutas para colher, com o animais para caçar.
As pernas para andar, os olhos pra ver, os braços para manipular.
Tudo em sua mais bela proporção e equilíbrio.
Que outro pensamento ele poderia ter além de que aquilo pra ele?


O ponto aqui é entender que na verdade o ser humano que é adaptado ao ambiente, e não o contrário. Se não fosse, não existiria.

Agora o fato histórico.

Veja bem, meus meninos.
Tudo. Frutas, cereais, leguminosos, sementes, cachorro, vaca, porco... Todos eles foram selecionados com o passar do tempo, desde a antiguidade até hoje. Se vocês forem ver as espécimes selvagens, vão ver que é algo bem diferente.

Tem uma pintura antiga (infelizmente eu não consegui achar) de um rei num balcão de comidas, daí a melancia é assim:

Link pra uma matéria: A Renaissance painting reveals how breeding changed watermelons
 
Última edição:

Texugo

Hifa
Membro Ativo
Amigo, acho que você está na defensiva.
Não estou te atacando.
Estou respondendo os seus posicionamentos de forma direta.
Acredite, estou com boa-fé e na amizade mesmo, não pense diferente disso.

O titulo do tópico tem "cogumelos melhores", melhores para mim só pode ser mais "potentes".
Talvez quis dizer cogumelos gigantes... ou com mais formato de penis, igual o penis envy :ROFLMAO: .
Talvez filosoficamente mais felizes...

Você pode preferir a estética e eu estou totalmente ok com isso.
Tranquilo.
Isso já estava claro, não precisa se preocupar.

Eu falei de um efeito bem conhecido.
Pelo cachorro você estava falando de seleção comercial, o mesmo ocorre com frango para consumo humano.
Acontece que são reinos diferentes, métodos de reprodução diferente.

cogumelo mais próximo da característica X > seleciona ele >descendentes dele > por acaso, há um descendente mais próximo ainda da característica X > seleciona esse > repete o processo
Vou tentar ser mais didático aqui.
Se você fizer isso com clonagem, show de bola, corretíssimo.
Acontece que o micélio começa a entrar em senescência depois de certo tempo e como você está clonando, é o mesmo que está desde o inicio.
Então ai você decide pegar esses esporos e fazer uma nova seringa.
Todo o trabalho foi perdido.

Nós como seres humanos, passamos a nossa genética, quanto mais perto da arvore genealógica, maior a semelhança.
Se você tem olho azul, a chance do filho ter é tal, se seu pai tinha olho azul e você preto é menor e se apenas seu bisavô tinha é ainda menos provável que seu filho tenha.


O apelido da seringa multi esporo é loteria.
Porque são milhares de esporos diferentes geneticamente, alguns irão formar hifas e se juntar a outras hifas, formando hifas diploides.
Seria mais como você querer que todos os seus espermatozoides gerassem clones seus, todos seus filhos seriam iguais, sem nenhuma variedade genética.

Exemplo: Você sempre cultiva em 25 C, o cogumelo nasce naquele esplendor de beleza.
Você pega e passa pra 35 C, nasce apenas um cogumelo bonito e robusto, você vai pegar e fazer esporo com ele, tendo a vontade de repetir esse traço de aguentar temperatura mais alta.
Mas o cogumelo não vai te dar uma genética pura, exatamente igual a dele, vai ter milhares de esporos diferentes ali, esporos esses que são semelhantes lá da genética do cogumelo de 25 C, afinal é "filho" dele.
Quando formarem novas hifas, o padrão dessa especie ainda é aquele dos 25 C, é como se você estivesse fazendo o primeiro passo novamente.
Você vai atingir seu objetivo de isolar o cogumelo de 35 c? Um dia, talvez. Mas vou estar morto até lá.


Hmm, então vou clonar, esse cogumelo é robusto, escolho ele.
Beleza, o clone vai ser o mesmo micélio. Vai dar cogumelos parecidos (ou não, depende do que ocasionou a aparência do "pai", se foi genética ou ambiente)
A ok, nasceu igual, vou clonar de novo.
Opa, ficou igual de novo, agora vou tirar esporos dele.
Vish, os esporos são os mesmos que seriam produzidos pelo primeiro cogumelo (talvez até piores pelo micélio estar mais velho)
Reiniciou todo o processo, 1000 esporos, 2 vão formar uma hifa... voltou ao cogumelo de 25 C.

Então não tem o que eu fazer pra "melhorar"o cogumelo?
Tem sim.

Inocula no agar, isola um setor.
Passa pra outra placa de petri até isolar "completamente".
Guarda essa placa.

Começa outra, com outros esporos.
Faz isso, no minimo, 10x.

Depois de ter isolado essas 10 "sub-strains" diferentes, inocula cada uma em uns 3 potes.
Coloca nas condições que você tá querendo "adaptar"
Espera frutificar (se algum frutificar).
Uma frutificou melhor que todas, gostei dela.
Tira esporos dela.
Lava suas placas, prepara o agar e vai lá, faz mais 10 "sub-strains".
Frutifica de novo...
E repete o processo.

Você vai conseguir obter um resultado consistente, provavelmente os esporos serão mais homogêneos quanto mais fizer esse processo, mas qualquer problema no DNA poderá comprometer a continuidade da linhagem.
E não tem garantia de que a característica que você queria vai estar presente.
Você vai ficar isolando micélio, esperando que um deles tenha a sorte de se dar bem naquele ambiente.
A pressão seletiva acontece quando tem um numero grande de indivíduos e de tempo.
Bactérias são um bom exemplo com antibióticos. Não é algo imediato ou imutável.
 
Última edição:

ExPoro

Psiconauta Apaixonado. Enteogenista Floyd-Gospel.
Membro Ativo
Nem sobre selecionar carimbos dos cogumelos maiores, que crescem mais rápidos, mais saudáveis... (e assim vai. fica ao seu critério a seleção) eu vejo sendo falado
É, não é muito falado.

Criar uma pequena porção de cogumelos em um canteiro separado, com menos cuidado, onde dali seria selecionado os cogumelos que conseguiram se desenvolver.

É naturalmente um processo que demora muito, mas fazendo isso por gerações seria possível ver mudanças significativas no que tange metabolismo, resistência e produtividade.
Tenho feito isso com meus cultivos de verão (Completo - Diário da Esperança #3 - Ecuador PF Tek - 15° Diário, poe exemplo), com vistas a um dia os cogumelos não terem tanta redução de produtividade pelo calor. Esse ano comecei a trabalhar com a cepa Ecuador pra esse caminho.

o maior esforço na seleção genética de um cogumelo vem pela "ain, queru essa corzinha X ou Y" e não pela eficiência
HUahuahuuhahuahuaahuahu é, eu não vejo também o menor sentido em selecionar que sejam albinos ou como forem, mas o prazer estético do cultivo faz parte da experiência de muitos. :)

Por isso que não tem busca pela potência.
É muito mais fácil eu cultivar mais.
De fato, podemos selecionar de tudo mediante isolamento (taxa de colonização, resistência a contaminantes, tamanho dos cogumelos, etc.), exceto a potência, porque não dá pra medir objetivamente sem equipamentos laboratoriais próprios.

Ai você tem algo bem inconsistente.
Um carimbo são milhares de genéticas, você escolher tirar o carimbo apenas dos maiores não quer dizer nem de perto que vai ter mais produtividade.
Só uma ressalva, caro @Texugo, é que é possível uma "seleção forçada" a partir da reprodução "multi-genética" de elementos de uma espécie que tenham caracteres desejáveis. É assim que fizeram com os porcos, galinhas, ovelhas, etc., com o passar dos milênios e centenas de anos. Então um cogumelo com determinada característica desejada terá maior chance de ter mais esporos com aquela característica do que outro cogumelo que não a tenha.

Em outras palavras, em algum momento o isolamento levará à produção de um carimbo de uma genética extremamente forte. Aí se reiniciará o ciclo de vida, com mais clonagem e isolamento até chegar a mais um exemplar puro e desejado de onde se tirará mais um carimbo, que em tese terá mais genéticas desejadas que indesejadas. E assim se pode seguir em frente até quem sabe em algumas décadas caracteres indesejados sejam quase que totalmente eliminados da variação genética de uma cepa e seus esporos.

O isolamento ou clonagem normalmente visam apenas o aumento da produtividade pela manutenção da genética ideal por vários cultivos. Mas se o isolamento visar o desenvolvimento do Cubensis como espécie em determinado sentido, deverá produzir um carimbo no fim para possibilitar essa evolução na forma que falei acima.

Você pega e passa pra 35 C, nasce apenas um cogumelo bonito e robusto, você vai pegar e fazer esporo com ele, tendo a vontade de repetir esse traço de aguentar temperatura mais alta.
Mas o cogumelo não vai te dar uma genética pura, exatamente igual a dele, vai ter milhares de esporos diferentes ali, esporos esses que são semelhantes lá da genética do cogumelo de 25 C, afinal é "filho" dele.
Quando formarem novas hifas, o padrão dessa especie ainda é aquele dos 25 C, é como se você estivesse fazendo o primeiro passo novamente.
Você vai atingir seu objetivo de isolar o cogumelo de 35 c? Um dia, talvez. Mas vou estar morto até lá.
Inocula no agar, isola um setor.
Passa pra outra placa de petri até isolar "completamente".
Guarda essa placa.

Começa outra, com outros esporos.
Faz isso, no minimo, 10x.

Depois de ter isolado essas 10 "sub-strains" diferentes, inocula cada uma em uns 3 potes.
Coloca nas condições que você tá querendo "adaptar"
Espera frutificar (se algum frutificar).
Uma frutificou melhor que todas, gostei dela.
Tira esporos dela.
Lava suas placas, prepara o agar e vai lá, faz mais 10 "sub-strains".
Frutifica de novo...
E repete o processo.
Hmmm... você me fez notar que eu preciso clonar meus experimentos de verão antes de tirar carimbo se quiser acelerar o processo seletivo, após dois ciclos completos de cultivo no calor (ME e clonagem). Valeu.
 

S-martinowski

1984
Membro Ativo
Verdadeira aula que podemos acompanhar por aqui hein... Todos estão de parabéns!

Nada como um debate denso (talvez um pouco tenso, mas esse é o tempero secreto) de informações sobre possibilidades experimentais de seleção genética.
E que vençam os melhores...

...e como diria o cara ao lado do divã: Falem me mais sobre isso.
 

Nitive

Esporo
Membro Ativo
Verdadeira aula que podemos acompanhar por aqui hein... Todos estão de parabéns!

Nada como um debate denso (talvez um pouco tenso, mas esse é o tempero secreto) de informações sobre possibilidades experimentais de seleção genética.
E que vençam os melhores...

...e como diria o cara ao lado do divã: Falem me mais sobre isso.
Sim uma discussão muito interessante, analisando o comentário do @Texugo me dei conta que normalmente sempre que inoculo ME eu meio que faço uma "pré" seleção normalmente inoculo uns 3 potes com grãos, desses 3 apenas um uso para g2g (no caso o com melhor desenvolvimento), e ainda na hora do g2g seleciono poucos grãos com o micelio mais desenvolvido (5-15 grãos dependendo do grão), e se tem uma estabilidade maior as variedades do que os do ME em si, porém sempre me perco nos casing qual é qual .-.
 

ExPoro

Psiconauta Apaixonado. Enteogenista Floyd-Gospel.
Membro Ativo
Pra fins deste debate, recomendo:
(Ver último item)

E achei também um tópico interessante com grande aprofundamento do tema:
 
Última edição:
Superior