Deus

morpheu

Primórdia
Membro Ativo
Como vc sabe ???
Como eu sei o quê?

Já falou com ele ???
Com quem? Com Deus?

Já morreu viu que não tinha nada e voltou ???
Quando eu disse que quase ninguém “amaria” a Deus caso o cristianismo ensinasse que Deus é indiferente a nós e que não há Céu nem Inferno, eu não estava querendo dizer que Deus é indiferente a nós (até porque o Deus cristão nem sequer existe, ele é apenas uma imagem mental na cabeça das pessoas, cada pessoa tendo uma imagem diferente dele) e que não há Céu e Inferno (embora de fato não haja), eu só estava querendo dizer que, numa situação hipotética em que a tradição cristã ensinasse isso, quase ninguém acreditaria e adoraria a Deus. Eu apenas sugeri uma hipótese para ilustrar que as pessoas “amam” a Deus por mero interesse pessoal.

Mas, respondendo à sua pergunta, sim, eu já morri. E já que você tocou nesse assunto, vou tentar dizer mais ou menos o que acontece na hora da morte por meio de uma metáfora.

Imagino que você já deve ter visto várias daquelas pegadinhas filmadas por câmeras escondidas, certo? O que acontece nessas pegadinhas é o seguinte: fulano chega para sicrano e começa a zoá-lo, sicrano não sabe que é apenas uma pegadinha e começa a ficar nervoso com fulano, quando sicrano já está P da vida fulano diz para ele que é apenas uma pegadinha e lhe aponta a câmera escondida. Na hora da morte acontece algo parecido com isso: você vai perceber que toda a sua vida não passou de uma pegadinha, um faz de conta, e que você esteve sendo feito de trouxa esse tempo todo por estar levando a sério uma mera brincadeira. Não há nada de místico ou espiritual nisso. E lembrando que essa comparação com uma pegadinha de câmera escondida é apenas uma metáfora, não é para ser levada ao pé da letra. E obviamente não é apenas isso que acontece na hora da morte, há muito mais coisas que são percebidas, isso que eu descrevi é apenas uma pequena parte da coisa toda.

Mas eu nem gosto de falar sobre isso, já que podem me interpretar erradamente e achar que eu estou dizendo que a pessoa sobrevive à morte, sendo que ela não sobrevive, pois o que nasce deve morrer, tudo o que tem um começo tem que ter um fim. Apenas o que não tem começo não pode ter fim. A pessoa teve um começo, portanto ela tem que ter um fim. De fato há algo que permanece após a morte, mas esse algo não é de modo algum a pessoa que você acredita ser. Os cristãos acham que a pessoa continua viva após a morte, que ela vai para o Céu ou para o Inferno, e eles estão enganados, porque não é isso que acontece. O indivíduo não é nada além de memória, e quando você morrer todas as suas memórias serão extintas para sempre e todo sempre, e tudo o que você viveu será como se nunca tivesse acontecido – porque de fato nunca aconteceu.

Mas ainda mais importante que saber o que é a morte é saber quem ou o que é esse eu que vai morrer. Qual a verdadeira natureza desse eu? Ele é um corpo, um cérebro, uma mente, uma alma, um espírito? Alguma vez você já viu esse eu? Por acaso existe alguém aí para morrer?

Embora eu diga que o indivíduo vai ter um fim, essa afirmação ainda não é de todo exata, porque nem sequer há um indivíduo para chegar ao fim. Muito mais certo que falar que na hora da morte a pessoa vai chegar ao fim é falar que na hora da morte será percebido que nem sequer há uma pessoa para chegar ao fim – o que chega ao fim é apenas a ilusão de haver uma pessoa (embora até mesmo essa crença de que há uma pessoa seja, em última instância, apenas mais uma ilusão).
 

morpheu

Primórdia
Membro Ativo
A ideia de Deus concebida pelo cristianismo é algo que não faz nenhum sentido, pelo seguinte motivo:

Embora a tradição cristã diga que todo o universo foi criado por Deus, para ela Deus é diferente de tudo aquilo que ele criou: o ser humano não é Deus, as árvores não são Deus, os planetas não são Deus, os insetos não são Deus, as pedras não são Deus, os computadores não são Deus, os ventiladores não são Deus, o diabo não é Deus...

Ora, se todas as criaturas de Deus não são Deus, então isso significa que há algo que abarca tanto Deus quanto todas as suas criaturas. E se há algo que abrange tanto Deus quanto todas as suas criaturas, esse algo necessariamente tem que ser maior do que Deus, já que isso contém Deus e ainda mais coisas além de Deus.

E para que Deus de fato seja Deus, não pode haver nada maior do que ele. Se há algo maior do que Deus, quer dizer que esse Deus já nem é Deus, pra começo de conversa.

Portanto, esse Deus como é concebido pelo senso comum não pode ser de fato Deus.
 

samuca

Cogumelo maduro
Membro Ativo
O termo que atualmente mais agrada minha mente, quando a questão é Deus é :
- Deus é não dualidade!
 

morpheu

Primórdia
Membro Ativo
O termo que atualmente mais agrada minha mente, quando a questão é Deus é :
- Deus é não dualidade!
Pelo menos você reconhece que isso é apenas um termo que agrada à sua mente (ou seja, é só um conceito abstrato, uma teoria, uma especulação, uma crença, uma imagem mental sua). E por acaso pode a mente saber o que é Deus (se é que de fato existe Deus)?

Deus para ser Deus tem que ser eterno e infinito, e pode o pensamento, que é temporário e limitado, conhecer aquilo que é atemporal e ilimitado? Não, não pode. A mente (que não é nada além do que uma sucessão de pensamentos) não consegue nem sequer imaginar algo eterno e infinito, já que ela só consegue imaginar algo com base naquilo que ela já conhece, e uma vez que tudo o que a mente conhece é temporário e finito, qualquer imagem que ela crie a respeito do eterno e do infinito será sempre a de algo temporário e finito (dois exemplos que deixam bem claro que a mente só imagina algo tendo como base o que ela já conhece são as ideias que comumente se tem de Deus e da eternidade: Deus é sempre pensado como uma coisa, uma entidade, um indivíduo [o indivíduo supremo, o indivíduo absoluto, o indivíduo que tudo pode]; enquanto a vida eterna no Reino dos Céus é sempre pensada como uma vida que possui uma duração cronológica que nunca acaba [somos nós querendo dar permanência àquilo que é impermanente]).

E da mesma maneira que qualquer imagem que a mente forme a respeito do eterno e do infinito será falsa, qualquer imagem que a mente forme a respeito de Deus será precisamente aquilo que Deus não é.
 

samuca

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Pelo menos você reconhece que isso é apenas um termo que agrada à sua mente (ou seja, é só um conceito abstrato, uma teoria, uma especulação, uma crença, uma imagem mental sua). E por acaso pode a mente saber o que é Deus (se é que de fato existe Deus)?

Deus para ser Deus tem que ser eterno e infinito, e pode o pensamento, que é temporário e limitado, conhecer aquilo que é atemporal e ilimitado? Não, não pode. A mente (que não é nada além do que uma sucessão de pensamentos) não consegue nem sequer imaginar algo eterno e infinito, já que ela só consegue imaginar algo com base naquilo que ela já conhece, e uma vez que tudo o que a mente conhece é temporário e finito, qualquer imagem que ela crie a respeito do eterno e do infinito será sempre a de algo temporário e finito (dois exemplos que deixam bem claro que a mente só imagina algo tendo como base o que ela já conhece são as ideias que comumente se tem de Deus e da eternidade: Deus é sempre pensado como uma coisa, uma entidade, um indivíduo [o indivíduo supremo, o indivíduo absoluto, o indivíduo que tudo pode]; enquanto a vida eterna no Reino dos Céus é sempre pensada como uma vida que possui uma duração cronológica que nunca acaba [somos nós querendo dar permanência àquilo que é impermanente]).

E da mesma maneira que qualquer imagem que a mente forme a respeito do eterno e do infinito será falsa, qualquer imagem que a mente forme a respeito de Deus será precisamente aquilo que Deus não é.
Acredito que a mente é limitada sim, tem portas como dizem, e mesmo com todas as portas abertas não conseguimos ver tudo, consequentemente não poderemos definir ou negar a existência de uma espécie de deidade mãe pai.
E gostaria dizer tbm ,que este holograma, no qual estamos, se parece com um jogo no qual eu não me importo se continua ou não depois da morte.
O que me faz sentir paz, amor , felicidade, é ter compreendido, através da experiência com cogus, que seja lá o que for este universo, está tudo dentro da "ordem"!
Que o caos é um tipo de ingrediente dentro dos ciclos desta condição temporal!
 

BlackCloud

Esporo
Membro Novo
O cristianismo não passa de uma conseqüência histórica.
É incrível a influência que essa religião ainda tem nos dias de hoje.
Quanto a Deus, é totalmente subjetivo.
É puramente resultado da evolução cognitiva humana em contato com a natureza e o universo.
Se Deus existe ? Primeiro temos que definir o que seria Deus.
 
Superior