20 a 30 minutos na panela de pressão.

Texugo

Hifa
Membro Ativo
Pasteurização, até onde eu sei, é uma técnica de esterilização. Mas bola pra frente. O que é importante para uma produção em nível ótimo é essa esterilização + o controle dos nutrientes prontamente disponíveis. É esse o problema do arroz, a disponibilidade. Muito carboidrato livre, mais alimento para aquele 1% de bactéria que ficou ali, mais concorrência para o fungo, com resultados muito ruins.

A pasteurização é uma técnica mais que centenária e altamente difundida. Falo sem medo nenhum: é 1atm a 62° por trinta minutos, no leite por exemplo. 2 a 3 atm a 120° é qualquer coisa menos pasteurização.

Você pode subir esses valores até 70 ou 80 graus Celsius, controlando a temperatura e imergir num recipiente como um cooler. Muito mais seguro e, acima de tudo, correto, do que improvisar.

Abraços.
Sempre limpando bem o substrato, né? Comprando de bons fornecedores também. Ferve a água, espera baixar a oitenta, e joga dentro do cooler cheio com substrato e determina o tempo necessário. peonto. Pasteurizado.
Não é pra cozinhar o substrato. É para pasteurizar. Indico fibra de coco, mais fácil de limpar.
Pasteurização é uma esterilização parcial por isso na pratica não é tratada como, apesar de você eliminar os organismos não muito termorresistentes o produto não será considerado estéril.
Por exemplo: microrganismos em esporos não serão destruídos.

Sim, sua técnica esta corretíssima e na industria alimentícia é exatamente o que falou.
Caso faça autoclavagem no leite, o mesmo perde até 90% das suas vitaminas, por isso utilizamos leite UHT (longa vida), que utiliza 130-150°C durante poucos segundos.

Se você esterilizou (aqui trataremos como pela PP), então não haverá concorrência para o fungo, todo microrganismo será eliminado, desde que mantenha a assepsia na hora de inocular. - Glovebox, stillairbox, etc...
Contando que apenas pasteurizemos o arroz, caso a colonização seja demorada (pelo frio e outros motivos) então o risco de contaminação será aumentado devido a esporos/endósporos presentes ali que tiveram tempo de eclodir, não seria possível armazenar copos para uso posterior.
Para eliminar a maioria dos endósporos é necessário 120°C por pelo menos 20 minutos em autoclave.

No PFTek a esterilização já é um processo confirmado como mais eficiente, pois ali queremos apenas o desenvolvimento do micélio, que será frutificado nesse mesmo meio que no momento não estará mais estéril e nem precisaria.

Agora se formos falar em bulk a pasteurização passa a ser crucial para auxiliar a segunda etapa da colonização, quando aqui esterilizamos então as chances de contaminantes aumentam pelo substrato altamente nutritivo como: húmus.

Alem desse ponto da PP, ela é a mais utilizada pela facilidade, você enche os copos joga dentro e deixa com timer.
Pasteurização precisa de mais atenção e fica mais difícil para iniciantes ou preguiçosos como eu, concorda?

 

tutanodemato

Esporo
Membro Novo
Pasteurização precisa de mais atenção e fica mais difícil para iniciantes ou preguiçosos como eu, concorda?
Não concordo. No cooler é super fácil. Pode fazer em isopor TB, mas não tenho conhecimento técnico sobre temperatura x contaminação por tóxicos presentes no material.

Ferva a água, cubra o substrato limpo, tampe e espere umas três horas. Melhor que na pressão.

Axé!
Alem desse ponto da PP, ela é a mais utilizada pela facilidade, você enche os copos joga dentro e deixa com timer.
Também não concordo. A manipulação deve ser mínima. Depois que saiu da panela vai pro escorredor esterelizado, e com o milho ainda quente uso o copo como pá, encho e fecho. Usar luvas e máscara de preferência.

O tratamento do milho eu faço assim: lavar bem o milho até ficar a água clara. Panela de pressão por três minutos, esfriar, escorrer, água sanitária + água no milho, molho de três horas, escorrer, lavar e mais trinta minutos de pressão. Nesse último vc vai tirar ainda quente, deixar esfriar até 50/45 e jogar no pote. Inocular quente ainda. É o método mais rápido de inoculação que já tentei.

Se estamos falando de contaminação, a manipulação deve ser mínima. A exposição TB. Não seco meus milhos.
Contando que apenas pasteurizemos o arroz, caso a colonização seja demorada (pelo frio e outros motivos) então o risco de contaminação será aumentado devido a esporos/endósporos presentes ali que tiveram tempo de eclodir, não seria possível armazenar copos para uso posterior.
Para eliminar a maioria dos endósporos é necessário 120°C por pelo menos 20 minutos em autoclave.
Na minha opinião, a chance maior de contaminação no arroz e afins se dá pela disponibilidade de nutrientes. Não tem nada a ver com microbiota etc. Lava o arroz até sair a água límpida. Molho, esfregar como se estivesse lavando roupa. Molho em água quente. Esterilização. Copo. Os esporos não podem ter concorrência. Mesmo os endoesporos, que aliás estão em todo e qualquer lugar, precisam daquele mínimo. Tirou esse mínimo, não vai nascer. A não ser vírus e bactérias, coisa que você pode evitar em grande parte manipulando menos o material.

Um forte abraço.
Se você esterilizou (aqui trataremos como pela PP), então não haverá concorrência para o fungo, todo microrganismo será eliminado, desde que mantenha a assepsia na hora de inocular. - Glovebox, stillairbox, etc...
Duvido muito que todo microorganismo seja eliminado. Não existe contaminação zero talvez nem em laboratório, que dirá numa cozinha. A melhor maneira é não dar comida pra esse 1% que sobreviveu. Simples assim.
 

Kvasir

Hifa
Membro Ativo
pq não faz um diário então com tudo relatado e explicando? Apenas nos baseamos no que vimos tanto aqui qto em outros fóruns. Todo mundo tendo excelentes resultados nos cultivos. Teria que fazer no minimo dois cultivos simultâneos cada um utilizando um método e comparar se realmente há uma diferença na produção. E teria que fazer esse experimento sucessivas vezes para poder provar que o índice de contaminação é menor e que o índice de colonização é maior.

Edit: erro meu, apenas que o índice de colonização seja maior.
 

tutanodemato

Esporo
Membro Novo
Não concordo. No cooler é super fácil. Pode fazer em isopor TB, mas não tenho conhecimento técnico sobre temperatura x contaminação por tóxicos presentes no material.

Ferva a água, cubra o substrato limpo, tampe e espere umas três horas. Melhor que na pressão.

Axé!


Também não concordo. A manipulação deve ser mínima. Depois que saiu da panela vai pro escorredor esterelizado, e com o milho ainda quente uso o copo como pá, encho e fecho. Usar luvas e máscara de preferência.

O tratamento do milho eu faço assim: lavar bem o milho até ficar a água clara. Panela de pressão por três minutos, esfriar, escorrer, água sanitária + água no milho, molho de três horas, escorrer, lavar e mais trinta minutos de pressão. Nesse último vc vai tirar ainda quente, deixar esfriar até 50/45 e jogar no pote. Inocular quente ainda. É o método mais rápido de inoculação que já tentei.

Se estamos falando de contaminação, a manipulação deve ser mínima. A exposição TB. Não seco meus milhos.


Na minha opinião, a chance maior de contaminação no arroz e afins se dá pela disponibilidade de nutrientes. Não tem nada a ver com microbiota etc. Lava o arroz até sair a água límpida. Molho, esfregar como se estivesse lavando roupa. Molho em água quente. Esterilização. Copo. Os esporos não podem ter concorrência. Mesmo os endoesporos, que aliás estão em todo e qualquer lugar, precisam daquele mínimo. Tirou esse mínimo, não vai nascer. A não ser vírus e bactérias, coisa que você pode evitar em grande parte manipulando menos o material.

Um forte abraço.


Duvido muito que todo microorganismo seja eliminado. Não existe contaminação zero talvez nem em laboratório, que dirá numa cozinha. A melhor maneira é não dar comida pra esse 1% que sobreviveu. Simples assim.
Também não uso glove box pra inocular. Uso apenas para tratar esporos, carimbos, seringas. Tá tudo higienizado, luva, máscara, seringa, milho acabou de sair do forgo... Álcool duas vezes no copo, flambar a seringa e limpar com álcool e já era. Nunca tive problemas. superfície limpa é o suficiente
pq não faz um diário então com tudo relatado e explicando? Apenas nos baseamos no que vimos tanto aqui qto em outros fóruns. Todo mundo tendo excelentes resultados nos cultivos. Teria que fazer no minimo dois cultivos simultâneos cada um utilizando um método e comparar se realmente há uma diferença na produção. E teria que fazer esse experimento sucessivas vezes para poder provar que o índice de contaminação é menor e que o índice de colonização é maior.
O índice de contaminação (no sentido de destruição de microorganismos e não no sentido da manutenção desse nível de microorganismos)é menor do jeito que vocês fazem, sem dúvida. Mas a colonização e a produção é maior como estou falando. Falo como produtor de cogumelos comestíveis. Tou só querendo ajudar, vejo gente complicando muito, passando uma semana pra fazer o que eu faço em um dia com segurança. Comecei agora no fórum, com certeza vou fazer esse diário, sim, te prometo

Boa noite.
Também não uso glove box pra inocular. Uso apenas para tratar esporos, carimbos, seringas. Tá tudo higienizado, luva, máscara, seringa, milho acabou de sair do forgo... Álcool duas vezes no copo, flambar a seringa e limpar com álcool e já era. Nunca tive problemas. superfície limpa é o suficiente

O índice de contaminação (no sentido de destruição de microorganismos e não no sentido da manutenção desse nível de microorganismos)é menor do jeito que vocês fazem, sem dúvida. Mas a colonização e a produção é maior como estou falando. Falo como produtor de cogumelos comestíveis. Tou só querendo ajudar, vejo gente complicando muito, passando uma semana pra fazer o que eu faço em um dia com segurança. Comecei agora no fórum, com certeza vou fazer esse diário, sim, te prometo

Boa noite.
Aliás, não tenho como provar essa parte da contaminação pois não tenho os materiais necessários. Mas posso registrar a colonização, sim, e comparar. Desculpe pelo descuido.
 
Última edição:

Texugo

Hifa
Membro Ativo
Não concordo. No cooler é super fácil. Pode fazer em isopor TB, mas não tenho conhecimento técnico sobre temperatura x contaminação por tóxicos presentes no material.

Ferva a água, cubra o substrato limpo, tampe e espere umas três horas. Melhor que na pressão.

Axé!


Também não concordo. A manipulação deve ser mínima. Depois que saiu da panela vai pro escorredor esterelizado, e com o milho ainda quente uso o copo como pá, encho e fecho. Usar luvas e máscara de preferência.

O tratamento do milho eu faço assim: lavar bem o milho até ficar a água clara. Panela de pressão por três minutos, esfriar, escorrer, água sanitária + água no milho, molho de três horas, escorrer, lavar e mais trinta minutos de pressão. Nesse último vc vai tirar ainda quente, deixar esfriar até 50/45 e jogar no pote. Inocular quente ainda. É o método mais rápido de inoculação que já tentei.

Se estamos falando de contaminação, a manipulação deve ser mínima. A exposição TB. Não seco meus milhos.


Na minha opinião, a chance maior de contaminação no arroz e afins se dá pela disponibilidade de nutrientes. Não tem nada a ver com microbiota etc. Lava o arroz até sair a água límpida. Molho, esfregar como se estivesse lavando roupa. Molho em água quente. Esterilização. Copo. Os esporos não podem ter concorrência. Mesmo os endoesporos, que aliás estão em todo e qualquer lugar, precisam daquele mínimo. Tirou esse mínimo, não vai nascer. A não ser vírus e bactérias, coisa que você pode evitar em grande parte manipulando menos o material.

Um forte abraço.


Duvido muito que todo microorganismo seja eliminado. Não existe contaminação zero talvez nem em laboratório, que dirá numa cozinha. A melhor maneira é não dar comida pra esse 1% que sobreviveu. Simples assim.
Com certeza tentarei sua técnica do milho, parece promissora.
Sugiro que crie um tutorial explicando melhor ela, parece ser bem útil e não lembro de ter visto aqui.
Esfriar a panela de pressão naturalmente?

Não consegui entender muito bem.
Sem organismos = indiferente a disponibilidade de nutrientes.
Fiquei confuso sobre a parte do endósporo, que minimo?
A não ser bactérias? Mas endósporo é bactéria o_O
Quando sai de autoclave ele é estéril, além do aquecimento possui filtro para reter os microrganismos, por isso é utilizada para instrumental cirúrgico.
A PP não tem isso, mas se estiver em boas condições não deixará microrganismos entrarem enquanto esfria, principalmente dentro do copo com o alumínio fazendo um "gargalo".
O difícil não é eliminar todo microrganismo, mas sim manter livre deles.
Existem até técnicas de paramentação, que rendem algumas horas de aula para conseguir vestir uma luva da maneira correta.
Não tendo um ambiente controlado ou mesmo utilizando luvas de procedimentos nunca garantiremos a esterilidade.
Por isso vedar o copo e utilizar seringa descartável.
A Glovebox é o método mais fácil e mais próximo. É um ambiente a parte. A eficiência dela é incrível pela simplicidade.
Nessa parte os gringos estão na nossa frente, como lá fora é mais em conta, até filtro HEPA conseguem utilizar no local do cultivo. Aqui vi apenas um ou outro.
Não que todo cultivo vire problemático se não tiver esses cuidados, mas a chance de contaminação tende a 0 com eles. Por isso acho importante tentar aprimorar.
Principalmente se for utilizar agar para selecionar micélio.
Todo processo leva tempo, se eu puder evitar ao máximo contaminantes e otimizar meu tempo livre, com certeza vou investir nisso.

-------
Edição:
Não entenda mal, o debate é o caminho para o crescimento.
O Objetivo aqui é aprender e colocar em teste, assim que formamos conhecimento.
Fico feliz de ter alguém experiente para colocar suas habilidades praticas.
Aqui a preocupação é mais com a eficiencia do cultivo do que com a quantidade.
Um bolo PFTek de 500ml rende fácil 10g, o que daria para 1 mês de consumo no meu caso.
Apenas cultivo a mais por gosto e para quando não puder cultivar.
 
Última edição:

tutanodemato

Esporo
Membro Novo
A não ser bactérias? Mas endósporo é bactéria
Endosporo é bactéria dormente, esperando justamente essas oportunidades de temperatura, umidade e nutrientes.

O que quero dizer, no fim das contas, é que o.cultivo de cogumelos é muito mais simples do que parece e pode ser feito com técnicas centenárias e até milenares. Nada de autoclave etc. Low tech mesmo. É importante o avanço que tivemos na parte de microbiologia, claro, e é desse avanço que se insiste no CONTROLE, para evitar contaminação. Isso você consegue num nível razoável evitando ao máximo a manipulação, utilizando materiais de melhor qualidade etc. Não é pra ter medo.

Vou fazer milhos hj pra g2g. Posso fazer o tutorial, mas sou novo aqui. Devo abrir outro assunto?
 

Kvasir

Hifa
Membro Ativo
Você pode abrir um tópico nos diários de cultivo se você quiser explicar todo o processo de cultivo ou pode abrir um tópico em outras sessões se quiser apenas mostrar um processo do cultivo todo. Recomendo dar uma olhada por ai pra ver como a galera usa as sessões.
 

Texugo

Hifa
Membro Ativo
Endosporo é bactéria dormente, esperando justamente essas oportunidades de temperatura, umidade e nutrientes.

O que quero dizer, no fim das contas, é que o.cultivo de cogumelos é muito mais simples do que parece e pode ser feito com técnicas centenárias e até milenares. Nada de autoclave etc. Low tech mesmo. É importante o avanço que tivemos na parte de microbiologia, claro, e é desse avanço que se insiste no CONTROLE, para evitar contaminação. Isso você consegue num nível razoável evitando ao máximo a manipulação, utilizando materiais de melhor qualidade etc. Não é pra ter medo.

Vou fazer milhos hj pra g2g. Posso fazer o tutorial, mas sou novo aqui. Devo abrir outro assunto?
Sim, acredito que seja aqui. Avançado
O bom para tutorial é postar tudo pronto, pois a edição aqui no fórum é limitada a 24hrs e depois só moderador pode.
Ou como o @Kvasir escreveu, montar o diário e depois de pronto pode desprender um tutorial.

Sim, concordo com você.
Mas precisamos enfatizar o controle o máximo possível pois chegam novatos e normalmente eles não gostam muito de procurar as informações,
então apenas misturam tudo e depois postam pedindo ajuda com fotos do bolo contaminado,
quando você pergunta inventaram uma técnica completamente nova da cabeça deles.

Se falarmos que não é tão difícil, acredito que vão negligenciar ainda mais.
A comparação é que você como cultivador experiente e outros aqui também sabem o melhor jeito de evitar problemas, mas os que mais vem atras de ajuda são totalmente leigos,
que se não seguirem instruções a risca, não conseguirão bons resultados.
 

Salaam`aleik

Kal-hifa
Administrador
Realmente pasteurizar é simples, mas deixar na panela de pressão por 1 hora é mais simples.

Começa por não precisar de mais equipamento, como por exemplo, um termômetro.

O novato vai ler você dizendo "maior produção" e vai crescer os olhos, querer pasteurizar em vez de esterilizar, aí faz tudo errado.
Deixa o arroz de molho e esfrega igual lavar roupa, mas usa detergente, porque não tinha sabão em pó. Esquenta água no fogão e joga o arroz lá dentro, sem tampar. Põe o dedo sujo na água para ver se está na temperatura certa ("tá quente, acho que está bom").
Depois dá tudo errado, ele vem aqui pedir ajuda, e aos poucos a gente vai descobrindo as peripécias. "Será que foi vírus? Eu estava meio gripado"...

A panela é só colocar os bolos dentro, desligar depois do tempo certo e esquecer lá, de um dia para o outro.

Quanto a competição entre organismos, uma vez esterilizado, e com um mínimo de assepsia no manejo, tanto um método quanto outro funcionam. Na inoculação injeta-se tantos esporos de cubensis de uma vez, que o resto dos microorganismos não tem muita chance de prosperar.
 

tutanodemato

Esporo
Membro Novo
Método pop corn

Limpar sempre bem o ambiente. A pia da cozinha é bem melhor que a do banheiro.

Lavar sempre as mãos

Você vai precisar de 1kg de milho da pipoca

Seis copos de polipropileno e tampas da mesma marca

Um escorredor grande e com apoio - nada de cabos. Segurança!

Álcool em gel

1l de água sanitária

Luvas toucas e maacaras

Uma glovebox

Um pote de milho já milkshake

Duas panelas de pressão do mesmo tamanho

Etapa 1
Limpeza

Molho de 15 minutos com água e água sanitária. Esfregar bem, com as mãos limpas. Trocar a água e repetir o processo até que a água do molho esteja clara.

Jogar o milho na panela de pressão. Conte 15 minutos depois de pegar pressão. Desligar, deixar sair toda a pressão. Escorrerem no escorredor limpo com água fervente e álcool em gel. Essa etapa é necessário usar toucas, máscaras e luvas. Passar álcool na tampa da panela e limpar bem, abrir, escorrer e imediatamente mandar para outra panela de pressão

Etapa 2
Pasteurização e enriquecimento do milho
Enquanto a primeira panela estiver resfriando, aquece o volume de água necessário para cobrir apenas a metade do volume da pipoca, em panelas iguais. Ferver à parte a mesma quantidade de água.

Assim que escorrer a primeira panela, mandar pra segunda panela com água fervendo. Cubra, se necessário, com a água fervida a parte. O ideal é um nível bem abaixo dos molhos que estão mais em cima, mas sempre apenas cobrir. Depois da pressão, contar trinta minutos. Durante isso você vai ouvir os molhos estourando.

Enquanto isso, preparar a glove boxe e os copos. Pode deixar um pouco de álcool. Nunca secar, manter o mínimo de manipulação. Guardar tampada - sim, limpas as tampas - na gloveboxe junto com o milkshake.

Depois dos trinta minutos, esfriar em água corrente até tirar toda a pressão. Escorrer nos escorredor limpo novamente e levar para o local controlado. Com luvas limpas com álcool, pegar os copos e usá-los como uma pá no escorredor, ainda quente. Mandar de volta pra glove box, repetir. Deixar esfriar até uma temperatura agradável ao toque, ainda morna. Dentro da globe box, quebre o
Método pop corn

Limpar sempre bem o ambiente. A pia da cozinha é bem melhor que a do banheiro.

Lavar sempre as mãos

Você vai precisar de 1kg de milho da pipoca

Seis copos de polipropileno e tampas da mesma marca

Um escorredor grande e com apoio - nada de cabos. Segurança!

Álcool em gel

1l de água sanitária

Luvas toucas e maacaras

Uma glovebox

Um pote de milho já milkshake

Duas panelas de pressão do mesmo tamanho

Etapa 1
Limpeza

Molho de 15 minutos com água e água sanitária. Esfregar bem, com as mãos limpas. Trocar a água e repetir o processo até que a água do molho esteja clara.

Jogar o milho na panela de pressão. Conte 15 minutos depois de pegar pressão. Desligar, deixar sair toda a pressão. Escorrerem no escorredor limpo com água fervente e álcool em gel. Essa etapa é necessário usar toucas, máscaras e luvas. Passar álcool na tampa da panela e limpar bem, abrir, escorrer e imediatamente mandar para outra panela de pressão

Etapa 2
Pasteurização e enriquecimento do milho
Enquanto a primeira panela estiver resfriando, aquece o volume de água necessário para cobrir apenas a metade do volume da pipoca, em panelas iguais. Ferver à parte a mesma quantidade de água.

Assim que escorrer a primeira panela, mandar pra segunda panela com água fervendo. Cubra, se necessário, com a água fervida a parte. O ideal é um nível bem abaixo dos molhos que estão mais em cima, mas sempre apenas cobrir. Depois da pressão, contar trinta minutos. Durante isso você vai ouvir os molhos estourando.

Enquanto isso, preparar a glove boxe e os copos. Pode deixar um pouco de álcool. Nunca secar, manter o mínimo de manipulação. Guardar tampada - sim, limpas as tampas - na gloveboxe junto com o milkshake.

Depois dos trinta minutos, esfriar em água corrente até tirar toda a pressão. Escorrer nos escorredor limpo novamente e levar para o local controlado. Com luvas limpas com álcool, pegar os copos e usá-los como uma pá no escorredor, ainda quente. Mandar de volta pra glove box, repetir. Deixar esfriar até uma temperatura agradável ao toque, ainda morna. Dentro da globe box, quebre o milkshake e não economize. Esse método pode repetir as infinitum. Quanto mais rápido gerar, melhor . Recomendo 15 grãos ou mais para um copo de quinhentos ml.

Tampar bem, balançar e colocar em local completamente escuro.

No primeiro dia já se vê o algodão. Completo em 8 dias

Vantagens: inoculação muito rápida, ambiente esterilizado pelo calor e aquele pouco de álcool que ficou por ali, umidade perfeita, o máximo de nutrientes para o fungo, com alguma eliminação dos nutrientes prontamente disponíveis desde a etapa de limpeza, Tek simples e super rápida, desde que sempre limpo e controlado o ambiente. Eu gosto da cozinha e fazer a parte de inoculação um pouco mais perto com o valor das panelas. Nada de fogo. Uma boa limpeza no balcão com água sanitária. Não enxugar completamente, tirar o excesso com uma bucha nova com água sanitária. Assim também nas paredes e no fogão. Cuidado com álcool. Usamos o álcool para limpar as tampas das panelas, os copos e as mãos. Na limpeza recomendo água sanitária e nada de papel pra usar. Menos manipulação.

Testado e aprovado!

Abraços, galera!
e não economize. Esse método pode repetir as infinitum. Quanto mais rápido gerar, melhor . Recomendo 15 grãos para um copo de quinhentos ml.

Tampar bem, balançar e colocar em local completamente escuro.

No primeiro dia já se vê o algodão. Completo em 8 dias

Foto: 36 horas depois
Edit: desculpa, galera,mandei duas vezes. Usar o último passo a passo.
Edit 2: IMPORTANTE

Na primeira pressão ainda estamos limpando o milho. Recomendo colocar pelo menos o dobro do volume de pipoca em água.
 

Anexos

Última edição:
Superior