Bem-vindo ao Teonanacatl

Olá, seja bem-vindo!


Nós somos uma comunidade de entusiastas da micologia. Aqui você encontrará diversos assuntos envolvendo a micologia amadora, incluindo cultivos de cogumelos comestíveis, medicinais e psicoativos, como os do gênero Psilocybe!


Convidamos você para participar da nossa comunidade! Leia o nosso termos de uso e cadastra-se clicando no botão abaixo ou clicando aqui!


  1. Este site utiliza cookies. Ao continuar utilizando esse site, você concorda em usar nossos cookies. Saiba Mais.
  2. Por favor, leia com atenção as Regras e o Termo de Responsabilidade do Fórum. Ambos lhe ajudarão a entender o que esperamos em termos de conduta no Fórum e também o posicionamento legal do mesmo.

    Dispensar Aviso

Em Andamento Segundo cultivo (Puerto Rican)

Discussão em 'Diário de cultivo' iniciada por Magafafo, 10 Ago 2018.

Tags:
  1. Magafafo

    Magafafo Hifa
    Membro

    :
    21 Jan 2017
    :
    64
    :
    73
    :
    9
    Sexo:
    Masculino
    :
    +109 / 19 / -0
    Depois de tantos meses, finalmente tive pique de novo para reiniciar os meus cultivos, vou descrever o que já fiz, o que pretendo fazer e pedir uns conselhos para a elaboração do meu terrário.

    Esporos
    Tinha uma seringa de esporos congelada há mais de um ano, do meu outro cultivo, que gerou bons frutos mas acabei descontinuando o tópico, a descongelei e sacudi bastante para tentar colocar os esporos depositados no fundo em suspensão (sem muito sucesso).

    Substrato
    Fiz a receita da pf tek tradicional, mas infelizmente reparei que a mistura não ficou suficientemente uniforme, já que dos 5 copos de polietileno com tampa que fiz 2 pareciam perfeitos, 2 tinham excesso de umidade e 1 ficou com excesso de substrato. Todos eles levaram um selo de vermiculita por cima.

    Inoculação
    Depois de cozinhar os bolos por aproximadamente 1h20m (o gás acabou bem aos 40 minutos, daí deixei um tempo a mais), esperei eles esfriarem e inoculei na porta do forno aberto, injetei a suspensão e tapei com micropore.

    Incubação
    Deixei meus 5 bolos numa mala térmica, como estava muito frio eles acabaram demorando excessivamente para se desenvolver, fui obrigado a guardar os bolos completamente colonizados na geladeira por um mês.

    Terrário
    É aqui que estou com problemas. Minha ideia é usar um balde de cloro com tampa de rosquear, com uma camada de perlita em baixo e furos tapados com lã acrílica. Tenho um cooler de 5v que estou doido para usar para auxiliar a troca gasosa, queria usar ele para sugar o ar do terrário e permitir a entrada de ar rico em O2 pelos furos cobertos com lã acrílica. Mas meu problema é que o cooler tem as pás retas, o ar é empurrado na direção radial, então fazer o ar ser sugado vai ser difícil. Também tenho um borrifador que se acopla com rosca em garrafas pet e produz gotículas suficientemente pequenas que parecem uma névoa, queria deixar ele fixo no terrário para o abrir o menos possível, tirando para olhar o progresso já que o pote de cloro é todo opaco.

    Alguém tem alguma sugestão para me ajudar no terrário?
     
    • Curtir Curtir x 1
  2. Anão

    Anão O Homem Risonho
    Membro

    :
    14 Dez 2012
    :
    357
    :
    367
    :
    34
    Sexo:
    Masculino
    :
    +678 / 63 / -0
    Raça Preferida:
    Mexican Dutch King
    Técnica Preferida:
    Técnica PF
    Se puder adquirir uma caixa organizadora:

    Furos de 1/4" com 2" de distância um do outro, nos 6 lados da caixa. Não há necessidade de vedar nenhum furo. A esta altura do nível de colonização, já não há substrato livre para contaminantes e o micélio já está resistente o suficiente pra não contaminar em condições ideais.
    Colocar alguns dedos de perlita no fundo, bem úmidas, obviamente.
    Deixar o terrário elevado, pode utilizar qualquer coisa que não tampe muitos os furos inferiores. A idéia de deixar o terrário elevado é que o ar passe por todos os lados, principalmente vindo debaixo, onde passará pela perlita e trará a umidade para o terrário.

    Quando o terrário estiver seco, faça uma troca de ar manual e borrife água para efetuar a manutenção da umidade. Só é necessário fazer troca de ar quando estiver seco e precisar borrifar água.

    É o que chamamos de SGFC.
     
    • Informativo Informativo x 2
  3. Speisepilz

    Speisepilz Cogumelo maduro
    Membro

    :
    23 Jun 2009
    :
    188
    :
    214
    :
    59
    Sexo:
    Masculino
    :
    +296 / 100 / -1
    Eu tô pensando em investir num cooler pois estou com dificuldade em manter a tempertura na caixa organizadora ! Vou de cooler pela praticidade na limpeza entre cultivos , o isopor além de ter milhoes de orifícios pros fungos do mal :troll: se esconderem , ele ainda pode vazar por baixo ! No meu caso uso umidificador ultrassonico e um timer , eliminei a perlita e as bolotas marrons que nao sao nem um pouco práticas nem higiênicas.
     
  4. WoD

    WoD Hifa
    Membro

    :
    20 Jun 2018
    :
    168
    :
    183
    :
    14
    Sexo:
    Masculino
    :
    +273 / 35 / -0
    Na verdade eu não entendi muito bem a dificuldade com o Cooler. Você acha que ele não vai conseguir tirar o ar de dentro do terrario? Mesmo sendo 5v, acho que ele vai dar conta sim. Lembre-se que se ele tirar ar demais você vai perder umidade demais. Isso é uma desvantagem em usar cooler como aerador.

    Se o problema for a direção que ele empurrar o ar e você não tiver como trocá-lo de lado, vale lembrar que basta trocar a polaridade dos fios pra ele girar ao contrario.

    Sobre a umidificação, eu faria um buraco maior nas laterais, cobriria com lã. Na hora de borrifar, tiraria a fã, colocaria só a ponta do borrifador e, como se diz aqui, morreu maria preá (problema resolvido).

    A caixa de cloro também de ser um problema porque plástico em geral absorve um pouco da química. Tanto que não se re-utiliza reservatórios deste tipo quando estes são gerador para armazenar produtos de limpeza em geral. Não sei o impacto que isso vai gerar no seu terrário.
     
    • Útil Útil x 1
  5. Magafafo

    Magafafo Hifa
    Membro

    :
    21 Jan 2017
    :
    64
    :
    73
    :
    9
    Sexo:
    Masculino
    :
    +109 / 19 / -0
    E como o mestre dos magos, depois de três meses sumido, vim postar novidades. Queria dizer que mesmo sem o feedback, acatei as dicas dos meus consagrados companheiros do tópico.

    Esse é o meu primeiro flush. No segundo devolvi meus bolos encolhidos no pote para fazer um dunk e deixei na geladeira, infelizmente acabei esquecendo eles lá, e acho que o tempo excessivo garantiu que 2 deles fossem contaminados, e o outro produziu alguns cogumelos que preferi não consumir, pois estavam com algo que parecia contaminação, muitos abortos e cogumelos bem pequenos.

    Consumi alguns deles, aproximadamente 3,2g segundo a balança de régua e caneta, mas infelizmente achei eles pouco potentes. Talvez tenha sido por misturar os cogumelos novos com os velhos, que produzi há mais de ano. Senti que o chá poderia estar mais potente, mas senti efeitos leves e estava gostei bastante.

    Quero produzir a partir de milho. Tenho 3 potes há mais de mês que utilizei como spawn um pedacinho do caule do meu cogumelo mais bonito do primeiro flush. Os procedimentos de esterilização foram executados bem aparentemente, já que não existe nenhuma contaminação visível depois de tanto tempo. Coloquei um pouquinho de vermiculita junto e sequei os grãos o melhor que pude antes de por na panela de pressão.
    Nos primeiros dias o progresso do micélio era visível, tanto que algo como uns 6 grãos estavam presos um ao outro por causa do micélio. Porém acho que me empolguei um pouco na hora de sacudir para distribuir e fazer a colonização mais rápida, e aquele lindo micélio branco morreu. O caule que tinha usado como spawn ficou completamente preto, com bastante cara de estar desidratado.

    Esperei mais algum tempo até ter certeza que não existiria progresso e abri os potes, com precedimentos suficientemente estéreis, e coloquei mais um pedaço de caule do segundo flush. Ao abrir o pote, senti a pressão de vapor bastante forte escapando e joguei o spawn lá dentro. Para minha surpresa, sem nenhum avanço do micélio, o caule que joguei ficou preto diretamente, sem nenhum progresso.

    Meus colegas, acham que devo descartar esse substrato e tentar novamente ou vale investir? Estou pensando em injetar um pouco de solução multiesporos e torcer bastante, o que acham?
     

    Arquivos Anexados:

    • Curtir Curtir x 2
  6. Salaam`aleik

    Salaam`aleik Kal-hifa
    Administrador

    :
    16 Jan 2014
    :
    1,158
    :
    1,457
    :
    38
    Sexo:
    Masculino
    :
    +3,466 / 586 / -0
    Raça Preferida:
    B+
    Técnica Preferida:
    Grão para Grão
    A não ser pela possível presença de insetos, como moscas de fruta e banheiro, bem comuns em países tropicais e especialmente na primavera/verão.

    Simplifica. Deixa fechado, abre 3x por dia e abana com a própria tampa, fecha de novo.
    Meu terrário é assim, só uma caixa fechada com água e argila expandida no fundo.

    Se o micélio que cresceu não saiu diretamente do pedaço de estipe, deve ter surgido pela presença de esporos que foram junto com o pedaço de tecido.

    Eu ferveria o milho mais uma vez (ou mais de uma, se não foi tindalizado) antes de tentar de novo com seringa de esporos. Basicamente, refazer o processo.
     
    • Curtir Curtir x 1
  7. Priscillocibina

    Membro

    :
    29 Mar 2018
    :
    181
    :
    238
    :
    14
    Sexo:
    Feminino
    :
    +355 / 47 / -0
    Raça Preferida:
    Cambodian Gold (a unica que cultivei por enquanto :p)
    Técnica Preferida:
    Casing
    Acredito que o milho tenha ficado seco demais.

    O que eu mais penei pra acertar no cultivo com milho foi justamente a umidade ideal... quando o milho fica muito seco, o micélio para de crescer (mesmo sem qlq sinal de contaminação); se fica úmido demais, acumulando água no fundo do pote, por exemplo, dá ruim.

    Nos últimos cultivos coloquei uma camada bem fina de vermiculita umida (um umido nao mt exagerado) no fundo do pote de spawn, antes de colocar os grãos cozidos. Gostei bastante, pq ao mesmo tempo que mantém o pote com umidade, não o deixa com nenhuma água empoçada (o que as vezes acontecia quando eu adicionava os 5ml da seringa de esporos :ressaca:) Ai eu tinha que escorrer o excesso... fazia uma lambança.

    Sobre o milho, deixo eles de molho de um dia pro outro, troco a água, cozinho até ficar um al dente mais durinho um pouco.

    Uso um escorredor de macarrão bem limpo e só, não deixo mt tempo escorrendo nem nada. Coloco nos potes de vidro, em cima da camada de vermiculita, e esterelizo na pp.

    Tb n tem problema a água de vapor que condensa nas paredes de dentro do pote... se não empoçar, ta suave.

    Acho que vale a pena refazer o processo, faz adubo com esses ai ^^