Completo Esporos ativos depois de 1,5 anos (TKSSS)

Caminhante

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Olá meus amigos. depois de muitos anos ausente do fórum, sem participar diretamente, venho aqui tentar um diário de cultivo com a raça Thai Koh Samui Super Strain.

Em dezembro de 2018 eu fiz um pedido aqui no fórum e o Mrrn me enviou o carimbo, vejam o tópico do pedido clicando aqui.

Não lembro quando preparei a seringa com os esporos, mas supondo que o carimbo tenha chegado em janeiro de 2019, devo ter preparado neste mês ou em fevereiro. Duas seringas de 3ml cada foram preparadas. Elas ficaram escuras, com boa concentração de esporos e permaneceram na geladeira, na gaveta de cima onde geralmente se guarda queijos e coisas assim, um compartimento que, acredito, ali seja mais frio. Estavam enroladas em papel alumínio e dentro de um saco transparente fechado.

No dia 07/05/2020, foram inoculados 5 copos com um substrado feito a base de vermiculita + trigo para quibe. Hoje, dia 09/05/2020, vejo sinais de micélio se formando nos copos, ainda aquela mancha clara esbranquiçada. Me surpreendeu ver o tempo que uma seringa pode durar. Já guardei um carimbo por vários meses e ao fazer a seringa e inocular, nada de micélio surgir, mas ao que parece uma seringa pode durar bastante tempo ainda com os esporos ativos.

A intenção deste tópico é principalmente relatar esse tempo em que uma seringa de esporos pode permanecer ativa, os detalhes sobre forma de preparo do substrato e o andamento do cultivo irei relatando posteriormente. Mas adianto que nada de muito complicado foi e será feito.

- A vermiculita foi misturada com o trigo na proporção de aproximadamente 1 pra 1, com um pouquinho mais de trigo e água suficiente pra hidratar sem excesso;

- Substrato foi colocado nos copos e um selo de vermiculita em cima, o suficiente apenas para cobrir e reduzir a chance de contaminar na hora de inocular, pois caso entrasse algum contaminante, teoricamente teria a barreira de vermiculita, material inerte, antes de chegar ao substrato. O selo foi umedecido também;

- folha dupla de papel alumínio para tampar os copos (que foram cheios até a borda mesmo, contanto com o selo de vermiculita) e não foi feito nenhum furo no alumínio, apenas durex a volta para segurar o tampão no copo.

Segue o sinal do micélio se formando:

IMG_20200509_135102.jpg
 
Última edição:

Caminhante

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Mt feliz por ver esse post... *.*

Fala Mrrn, aniversariei o primeiro copo ontem, mas vou postar a foto apenas com os cogumelos já crescidos, quero um diário breve e objetivo. O objetivo é colher mais esporos, e então o próximo cultivo será mais detalhado e tentarei dar uma maior contribuição ao fórum.

Abraços e grato a todos que estão acompanhando!
 

Mrrn

Hifa
Membro Ativo
Salve meu caro... otimo... otimo...
Fiquei mesmo felizao ao ver o post, estou terminando um sistema pra resfriamento de terrário pra começar uma nova saga...
Estou ainda com 1 carimbo do mesmo 11/2018.. estou pensando em tentar ativar.... esta strain foi a que tive melhores colheitas... caso vc tenha sucesso por ai e puder gerar novas sementes, irei querer =D
Tenha um otimo cultivo man.
 

Caminhante

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Olá amigos! Abaixo fotos do que consegui colher de melhor da seringa que estava guardada. Acredito que os cogumelos não ficaram vigorosos como conhecido nessa strain, devido a alguns fatores:

  • Tempo que a seringa de esporos ficou armazenada;
  • Demora em colonizar o substrato nos copos, pouco líquido foi inoculado;
  • E alguns problemas no casing que foi resolvido depois adicionando uma mistura de turfa e lascas de madeira, acelerando a pinagem.

Mas dos únicos dois carimbos pequenos que colhi, irei inocular outros potes, além de fazer uma cultura líquida pra obter mais material de inoculação.

Abaixo, fotos de uma ideia para inocular um pouco de uma seringa de esporos hidratados num meio de água+dextrose, sem usar glovebox e procurando reduzir chances de contato com contaminantes. Para isso foi adaptado um escalpe desses que se aplica na veia, inserido lateralmente no tampão do copo e fixado com fita isolante. Depois de esterilizado o copo, basta tirar a tampinha e encaixar na seringa, injetando um pouco de esporos, depois tampa novamente. As chances de contaminantes andarem por dentro do mangueirinha do escalpe fazendo curvas, são bem pequenas.

Primeiro passa uma fita isolante no tampão, depois insere a agulha do escalpe que vai entrar bem justo, se fizer isso direto no papel alumínio qualquer movimento do escalpe rasga o alumínio. depois com outros pedaços de fita, fixa e protege bem o escalpe e pode então esterilizar.
 

Anexos

Última edição:

Caminhante

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Esse diário ainda irá continuar a partir do carimbo que fiz.

Mais na frente irei postar algumas ideias boas, tais como um substrato sem vermiculita, ideias alternativas de substrato, análises de tamanhos de potes para usar, análise sobre o tamanho de uma camada de substrato de casing e sua relação com o tamanho e quantidade dos cogumelos, entre outras coisas.

Logo teremos novidades! ;)
 

ExPoro

Psiconauta Apaixonado. Enteogenista Floyd-Gospel.
Membro Ativo

Caminhante

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Salve amigos!

Atualizando:


Como dito anteriormente, com os únicos 2 carimbos pequenos e não muito escuros que colhi, fiz cultura líquida com uma parte e com as demais seringas hidratadas eu inoculei vários potes de 1,2 L e de 800 ml, se não me engano.

O substrato foi feito com

  • Alpiste (pode usar painço);
  • Farinha para quibe;
  • Composto orgânico a base de Turfa e Casca de Pinus (Composição: Turfa, casca de pinus, vermiculita e carvão vegetal para correção de PH);
  • Flocos de celulose (daquelas que se usa de cama para animais domésticos como gatos, coelhos, etc.)

    O comporto orgânico foi comprado em loja de jardinagem e os flocos de celulose em loja de itens para bichos de estimação.

    A ideia original em usar os flocos de celulose era substituir a vermiculita, que estava em falta. Vi que eram flocos do tamanho aproximado de grãos de feijão, e na embalagem dizia que possui grande absorção de água. Então pensei: se o micélio pode ser clonado na celulose de um papelão, ele irá crescer na celulose pura destes flocos, e eles proverão umidade e deixarão menos compacto.

    Acontece que depois de preparado o substrato, percebi que não tem o efeito de absorção como tem a vermiculita, e na minha opinião não parece fazer tanta diferença. Se o substrato fosse apenas o alpiste ou painço, o composto de pinus e turfa, e a farinha para quibe, iria colonizar bem. E é assim que farei nos próximos potes.

    Lembrando que a principal fonte de nutrientes neste substrato é o alpiste/painço e a farinha para quibe. O que eu observei neste composto orgânico a base de turfa e pinus foi que o micélio cresceu voraz e bonito, muito rizomórfico, e a partir de agora usarei ele no substrato. Também irei usá-lo puro para camada de casing. Percebi que ele não contamina fácil, nem mesmo foi pasteurizado para a primeira camada de casing. Mas na próxima irei pasteurizar (pasteurizar, e não esterilizar)

    A ideia é fazer grandes casings, em tamanho e profundidade para averiguar se isso garante maior produção em número e tamanho dos cogumelos.

    Abaixo segue algumas fotos do substrato nos potes, e também do micélio já colonizando.
 

Anexos

Superior