A irrealidade do mundo

Schrödinger

Esporo
Membro Novo
Galera, algum de vocês já tiveram uma sensação que existe algo errado? Que a nossa "realidade" não é como pensamos que ela é?
Tive vários insights acerca disso em minhas trips com cogumelos, o que me levou a um estado de profunda reflexão. Como se este mundo não fosse nada além do que uma simulação holográfica, e, consequentemente, nossa vida e os acontecimentos também.
 

Salaam`aleik

Kal-hifa
Administrador
Entendeu de onde saíram filmes como A Matriz? :alien:

Já tive essas sensaçòes, durante a trip sim, e fora da trip também, mas é uma linha de pensamento perigosa.
Principalmente se a sensação for persistente 🧐

Um filósofo irá seguir o raciocíno. Um físico tentará provar a teoria. Um psiquiatra dirá que se trata de paranóia e desrealização. E um louco achará que é verdade...

Bem vindo aos cogumelos! 😆
 

Ecuador

Artífice esporulante
Administrador
Cada pessoa constrói a sua realidade. E ela nem é fixa. A cada vez que abrimos determinado livro pensamos que é o mesmo livro, mas nós mudamos, e o livro mudou.

Se há tantas realidades quanto pessoas (e seres sencientes), e todas são válidas para a percepção que a constrói, será que há uma única realidade verdadeira?

Entretanto, para fins práticos, é preciso observar certas regras. Não vá atravessar uma rua movimentada de olhos fechados porquê os carros não existem. Há uma lei de causa e efeito atuante.

Você pode explorar toda possibilidade que quiser, mas lembre-se de manter contato com os aspectos práticos.
 

Huxley

Hifa
Membro Novo
Sugiro não tentar entender racionalmente. Os mergulhos profundos na consciência são sempre mergulhos profundos na existência. Ao se aperceber das irrealidades e do que é Real, a mente humana condicionada é, fatalmente, limitada demais e o vício de pensar leva a um desespero mental dada pela confusão ao se tentar entender algo que está além da compreensão humana normal. Se te interessa pesquisar a fundo, sugiro ver palestras do filósofo Jiddu Krishnamurti, pode ser de grandíssima ajuda.

O Universo é uma visualização de Deus.

Essa é uma frase que contém muitos segredos em seus símbolos. Mas não se pode esquecer que o Jogo não para e você está inserido nele, e as regras do Jogo se aplicarão a você queira ou não.

No fim, não leve tudo muito à sério. Orgulhe-se da Criação Mental Universal. Ela é tão sua quanto é de Deus. Só não cometa a besteira de achar que você é Deus.

Abraços!
 

Schrödinger

Esporo
Membro Novo
Entendeu de onde saíram filmes como A Matriz? :alien:

Já tive essas sensaçòes, durante a trip sim, e fora da trip também, mas é uma linha de pensamento perigosa.
Principalmente se a sensação for persistente 🧐

Um filósofo irá seguir o raciocíno. Um físico tentará provar a teoria. Um psiquiatra dirá que se trata de paranóia e desrealização. E um louco achará que é verdade...

Bem vindo aos cogumelos! 😆
Mas e se o que chamamos de "realidade", de fato, não existe? E se as coisas sólidas, acontecimentos, passado, futuro e presente são meras projeções de nossa mente?
Sugiro não tentar entender racionalmente. Os mergulhos profundos na consciência são sempre mergulhos profundos na existência. Ao se aperceber das irrealidades e do que é Real, a mente humana condicionada é, fatalmente, limitada demais e o vício de pensar leva a um desespero mental dada pela confusão ao se tentar entender algo que está além da compreensão humana normal. Se te interessa pesquisar a fundo, sugiro ver palestras do filósofo Jiddu Krishnamurti, pode ser de grandíssima ajuda.

O Universo é uma visualização de Deus.

Essa é uma frase que contém muitos segredos em seus símbolos. Mas não se pode esquecer que o Jogo não para e você está inserido nele, e as regras do Jogo se aplicarão a você queira ou não.

No fim, não leve tudo muito à sério. Orgulhe-se da Criação Mental Universal. Ela é tão sua quanto é de Deus. Só não cometa a besteira de achar que você é Deus.

Abraços!
Concordo. Não sou
Cada pessoa constrói a sua realidade. E ela nem é fixa. A cada vez que abrimos determinado livro pensamos que é o mesmo livro, mas nós mudamos, e o livro mudou.

Se há tantas realidades quanto pessoas (e seres sencientes), e todas são válidas para a percepção que a constrói, será que há uma única realidade verdadeira?

Entretanto, para fins práticos, é preciso observar certas regras. Não vá atravessar uma rua movimentada de olhos fechados porquê os carros não existem. Há uma lei de causa e efeito atuante.

Você pode explorar toda possibilidade que quiser, mas lembre-se de manter contato com os aspectos práticos.
Se eu atravessar a rua com os olhos vendados e ser atropelado, isso significa que os carros e eu sou real? Mesmo que eu morresse, isso não provaria que existiu um carro sólido que me atropelou, até porque a morte é também uma ilusão. No mais, eu prefiro ter dúvidas do que certezas. A certeza é inimiga da verdade.
 
Última edição:

Salaam`aleik

Kal-hifa
Administrador
A certeza é inimiga da verdade.
Se você nunca tiver uma certeza sequer, como saberá a verdade? Ao descobri-la, como terá certeza se é a verdade ou não é?
Não seria saber, por fim, a verdade, ter uma certeza?

A existência do carro, a sua, ou a morte ser uma ilusão deixarão de ter importância quando você morrer (seja pelo carro, ou de outra forma). Até que alguém morra e, se houver algo além disso, possa nos comunicar a história, não há nada para além da morte.

Pelo menos não para você... o observador, de dentro da caixa. Estará morto ou não estará? 🐈

Não recomendo tentar provar isso, entretanto.

Mas e se o que chamamos de "realidade", de fato, não existe? E se as coisas sólidas, acontecimentos, passado, futuro e presente são meras projeções de nossa mente?
Tudo é uma projeção da nossa mente. O carro, a rua e o seu corpo só existem na sua mente, são concepções criadas por nós.
Na prática existem "coisas sólidas". A forma com que elas se apresentam varia, mas os nomes somos nós que damos, conforme nós as entendemos.

Algumas coisas sólidas se mostram bem reais em dados momentos. Como o carro. Ou a quina do móvel quando encontra o dedinho do pé, por exemplo.
Por isso no dia a dia, temos que prestar atenção por onde andamos e ao que fazemos. Seja ao andar pela casa, ou ao atravessar a rua.

Eu prefiro deixar as dúvidas sobre a realidade, para durante as trips e para os relatos.
É preciso saber viver, tanto quanto é preciso saber ir, deixar ir, e se deixar ir.

Como já diziam os Titãs:

Quem espera que a vida
Seja feita de ilusão
Pode até ficar maluco
Ou morrer na solidão...


Quanta sabedoria!

Só não cometa a besteira de achar que você é Deus.
Eu sou Deus sim!

Eu sou Deus, você é Deus, todo mundo é Deus!

Só que alguns de vocês não sabem... Ainda. 🍄
 

morpheu

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Mas é claro que o mundo é irreal. A própria ideia de um mundo real é algo que não faz nenhum sentido. Afinal, dizer que o mundo é real significa dizer que o mundo existe mesmo quando não está sendo percebido por ninguém, e até hoje ninguém nunca encontrou uma evidência de que o mundo existe mesmo sem ser percebido. A evidência que provaria que o mundo existe mesmo quando não está sendo percebido seria se alguém percebesse o mundo antes do surgimento de qualquer forma de percepção, mas isso em si é uma contradição. Para que alguém tenha uma suposta evidência de que o mundo existe sem ser percebido, é necessário haver a percepção dessa evidência. E se não há ninguém para perceber essa evidência, então qual a lógica de afirmar que o mundo é real? A percepção é anterior ao mundo. Nós primeiro percebemos o mundo e só depois de muito tempo é que começamos a achar que ele já estava aí antes que houvesse alguém para percebê-lo. As pessoas só acham que o mundo é real porque primeiro perceberam o mundo.

Além do mais, o mundo está sempre mudando e os objetos que o constituem estão sempre chegando ao fim. E como é possível algo que muda e morre ser real? Por exemplo, se eu lhe perguntasse se Michael Jackson existe ou não, o que você responderia? A resposta mais correta seria “não”, certo? Afinal, Michael Jackson já morreu, já chegou ao fim, e algo que já chegou ao fim é algo que não existe mais, e algo que não existe mais é algo que não existe. Portanto, Michael Jackson não existe.

Você poderia dizer: “bom, Michael Jackson já não existe, mas eu ainda existo, a Lua ainda existe, o planeta Terra ainda existe”. Sim, mas pense daqui a 800 quatrilhões de anos. O que restará de você, da Lua e da Terra? Que realidade vocês terão daqui a todo esse tempo? Aliás, que realidade vocês têm neste momento?

Para que algo possa de fato ser considerado real, esse algo tem que existir sempre. E chegará um momento em que afirmar que você, a Lua e a Terra existem será uma afirmação falsa, uma vez que vocês já terão chegado ao fim.

Você poderia dizer: “bom, mas pelo menos no passado a gente terá existido”. Mas o passado já chegou ao fim, e algo que já chegou ao fim é algo que não existe mais, e algo que não existe mais é algo que não existe. Portanto, existir no passado e não existir dá no mesmo.

E isso também se aplica ao futuro, pois o futuro ainda não chegou, e algo que ainda não chegou é algo que ainda não existe, e algo que ainda não existe é algo que não existe. E quando o futuro chega, ele não é futuro, mas presente, assim como o passado, quando aconteceu, não era passado, mas presente.

Outro exemplo: suponhamos que eu lhe mostre uma semente na minha mão e lhe pergunte o que é aquilo. Provavelmente você responderia que é uma semente. Mas algum tempo atrás aquilo ainda não era uma semente e daqui a algum tempo aquilo já não será mais uma semente, pois a semente pode se transformar numa muda, depois numa árvore, depois essa árvore pode ser derrubada e ser transformada em papel ou móveis de madeira, depois os móveis e o papel podem ser queimados e virar cinzas... Mas então qual era a verdadeira natureza daquele objeto que eu tinha na mão? Era uma semente, uma muda, uma árvore, um móvel, papel, cinzas? Justamente porque aquela semente está sempre mudando é correto afirmar que ela não é coisa alguma em particular, e, portanto, ela não é nada. E o mesmo se aplica a todos os objetos e ao próprio mundo.

E mesmo agora, se você fosse olhar aquela semente mais de perto, você descobriria que na verdade não há nenhuma semente ali, mas apenas células, e se olhasse mais de perto, você descobriria que não há células, mas apenas moléculas, e que não há moléculas, mas apenas átomos, e que não há átomos, mas apenas partículas subatômicas, e assim por diante...

Aliás, a própria mudança é uma ilusão, pois a mudança pressupõe a existência do tempo, e não existe tempo. Mudança significa isso: antes era assim, depois ficou assado. Mas uma vez que não há tempo, como pode haver um antes e um depois? Tudo está sempre mudando, mas apenas no nível relativo, e uma vez que o nível relativo não existe, é correto afirmar que não existe mudança. No nível absoluto, que é o único nível que realmente existe, tudo permanece sempre o mesmo.

E como não há tempo, também não existem acontecimentos, já que um acontecimento é algo que se estende ao longo do tempo.

Afinal, como eu já disse antes, passado e futuro não existem, e o presente não possui nenhuma duração, pois o que tem duração pode ser dividido em passado e futuro e, portanto, não pode ser o presente. Por exemplo: alguém poderia dizer que o presente é o ano em que estamos, 2019. Mas um ano tem duração e, por conseguinte, pode ser dividido em meses: todos os meses antes de novembro são passado e dezembro é futuro, portanto eles não pertencem ao presente. E então poderia se dizer que novembro, o mês em que estamos, é o presente, mas ele ainda pode ser dividido em dias: de 14 de novembro pra trás é passado e de 16 de novembro pra frente é futuro. E então se poderia dizer que o dia 15/11/2019, que é hoje, é o presente. Mas este dia pode ser dividido em horas, e as horas em minutos, e os minutos em segundos, e os segundos em milésimos de segundo, e assim por diante... Portanto, o presente tem que ter uma duração igual a zero, e como pode haver tempo se não existe nenhuma duração? Quanto tempo dura este exato momento? Quando que um momento termina e outro começa? Quantos momentos existem? Não existe apenas um momento? Este momento não é todos os momentos? Aliás, isso que eu estou dizendo neste parágrafo já foi dito antes por Santo Agostinho.

A certeza é inimiga da verdade.
Você tem certeza disso?
 

Naberus

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Acho que a palavra "irrealidade" pode causar um pouco de confusão e até acabar desviando o entendimento da ideia proposta.

A nossa realidade, essa captada pelos 5 sentidos é real, tanto que pode ser experimentada por diferentes pessoas mesmo que cada uma possa interpretar de formas diferentes. Essa realidade tem leis imutáveis que são objeto de estudo da física, química, matemática, etc.

Acho que a "irrealidade" do título do tópico seria mais no sentido de validar nossa realidade perceptível com relação ao restante do universo. Acho que o @Schrödinger usou essa palavra por perceber a impossibilidade de que esta realidade perceptível pelos sentidos, tão densa e limitada, seja o universo todo.

Nossa realidade é real, mas ela está contida numa realidade maior. Ela é real para nós mas pode não ser real para os que pertencem a outras realidades.
 

Texugo

Hifa
Membro Ativo
Acho que a palavra "irrealidade" pode causar um pouco de confusão e até acabar desviando o entendimento da ideia proposta.

A nossa realidade, essa captada pelos 5 sentidos é real, tanto que pode ser experimentada por diferentes pessoas mesmo que cada uma possa interpretar de formas diferentes. Essa realidade tem leis imutáveis que são objeto de estudo da física, química, matemática, etc.

Acho que a "irrealidade" do título do tópico seria mais no sentido de validar nossa realidade perceptível com relação ao restante do universo. Acho que o @Schrödinger usou essa palavra por perceber a impossibilidade de que esta realidade perceptível pelos sentidos, tão densa e limitada, seja o universo todo.

Nossa realidade é real, mas ela está contida numa realidade maior. Ela é real para nós mas pode não ser real para os que pertencem a outras realidades.
Entendi o que disse e concordo quando estou com a mente limpa.

Mas tive varias trips que me fariam pensar totalmente diferente.

Você falou que a realidade dos 5 sentidos é real, o problema é caso os 5 sentidos não sejam, então consequentemente a realidade não seria.

Não sei se já experimentou uma viagem dessas, mas questiona-se até a sua existência, de outras pessoas, quem dirá da física, da química.
Como posso confiar na física se tem uma cadeira voando?
Como posso confiar na química se vejo objetos surgindo do nada.
Matematica... não consigo nem contar quantos dedos eu tenho.

Como falei, é algo que, para mim, acaba com a trip. Volto ao "padrão" da realidade.
Mas durante é bem complicado, não tenho como explicar.

--------------------------------

Deixo outra questão que eu tenho pensado a algum tempo, sem definir algo.

Uma pessoa que sofre com esquizofrenia, que tem alucinações, aqui digamos que veja um outro homem, que só ele vê.

Ele consegue ver esse homem, ele consegue escutar esse homem, mas apenas ele.
Descobriu que era alucinação quando outras pessoas falaram a ele.

Ele sabe que as outras pessoas não conseguem ver, mas para ele é como se fosse uma pessoa igual as outras.
Não conta para os outros pois sabe que será ridicularizado.
Quando perguntam ele fala que sofre alucinação para parecer que está consciente da situação.
Mas no fundo acredita que aquele homem é real, talvez seu amigo ou inimigo.

Isso me fez procurar muita leitura, mas ainda não cheguei a uma conclusão.
Gostaria que expressassem o que acham.

Esse homem é real para essa pessoa?
 

Ecuador

Artífice esporulante
Administrador
Esse homem é real para essa pessoa?

As percepções podem ser válidas ou não.

Se você vê um pedaço de corda no meio do mato, e pensa que é uma cobra, é uma percepção não válida. Examinando com cuidado você vai perceber que é só um pedaço de corda. Outro exemplo são as ilusões óticas, ou mesmo os padrões que nosso cérebro parece biologicamente programado para ver, mesmo quando não existem, como rostos. Com muita facilidade vemos rostos em muitos lugares onde não há nenhum rosto para ver, somente um padrão que pode ser confundido com um rosto.

Se a pessoa está alucinando é uma percepção não válida, a princípio. A questão se complica nesses casos quando se pensarmos na possibilidade de que ela está vendo algo que tem uma base real, mas que só ela consegue ver essa base. É mais ou menos como os conceitos que temos sobre a realidade. Toda pessoa tem uma realidade somente dela, que só ela consegue perceber daquele jeito.

Quem está em um surto vê ou ouve algo que só ele consegue perceber naquele momento? Difícil uma resposta definitiva. E ainda por cima alucinações coletivas são algo raras. Talvez haja os dois casos, visões e vozes com uma base que só a pessoa consegue perceber e alucinações mesmo.

Porquê meio que alucinamos o tempo todo, mesmo as pessoas "sãs". Quem nunca teve uma crise de raiva ou ciúmes por causa de algo que pareceu mas não era que atire a primeira pedra. Esses "enganos" são como alucinações.

De qualquer forma, se a pessoa vê ou ouve algo que não tem uma base perceptível para outras pessoas, naquele momento aquela percepção é válida para ela, no mundo que ela cria com a mente dela, mesmo sem uma base válida perceptível por outros.
 
Última edição:

juninho22

Hifa
Membro Ativo
Vc! não vou falar teu nome teu russo grego 😂😐

Continuando... É pq a onda te faz alterar os sentidos e te leva pro lado cognitivo da coisa, e logo o que vc desconhece te torna um ignorante em meio a aquilo, mas a busca do conhecimento é a busca pela sabedoria, no entanto esse sentimento pode ser algo bom se vc souber usar com sabedoria.

Pq de fato se vc parar pra pensar o mundo realmente é uma Matrix, aonde tds as pessoas vivem desconexas em relação a td, mas um dia essa verdade se fará presente. É por isso que cada vez mais eu tbm me vicío nessa onda do cogumelo, quando o mundo estiver acabando, eu a muito tempo já construí o meu e sem ter destroçado um pedacinho sequer do meu paraíso 😎
 

Naberus

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Acho que conhecer o funcionamento e os limites do nosso cérebro ajuda a separar melhor as coisas, e muitas dessas especulações e dúvidas podem ser melhor esclarecidas. Pena que ainda sabemos tão pouco...

Mesmo as alucinações ou percepções diferentes do padrão são apenas diferentes apresentações desta realidade, e as coisas que acontecem numa viajem de cogumelos podem ser apenas alucinações cerebrais mesmo, somente um desencaixe, embaralhamento e remontagem parcial desta realidade que percebemos.

Minha teoria é que a experimentação de uma realidade além da nossa só pode ser obtida na ausência de um cérebro ativo, e da mesma forma, essa experimentação também não poderia posteriormente ser processada de forma inteligível por um cérebro ativo.

Pelas minhas observações parece que a principal função do cérebro é não nos deixar sair desta realidade de forma alguma.
 

juninho22

Hifa
Membro Ativo
Acho que conhecer o funcionamento e os limites do nosso cérebro ajuda a separar melhor as coisas, e muitas dessas especulações e dúvidas podem ser melhor esclarecidas. Pena que ainda sabemos tão pouco...

Mesmo as alucinações ou percepções diferentes do padrão são apenas diferentes apresentações desta realidade, e as coisas que acontecem numa viajem de cogumelos podem ser apenas alucinações cerebrais mesmo, somente um desencaixe, embaralhamento e remontagem parcial desta realidade que percebemos.

Minha teoria é que a experimentação de uma realidade além da nossa só pode ser obtida na ausência de um cérebro ativo, e da mesma forma, essa experimentação também não poderia posteriormente ser processada de forma inteligível por um cérebro ativo.

Pelas minhas observações parece que a principal função do cérebro é não nos deixar sair desta realidade de forma alguma.
Pow mano, concordo contigo em partes, rs. Concordo que agente tem que manter os nossos pés no chão e viver essa realidade aqui, isso é fato, rs.

Mas eu num sei pra vc, ao menos pra mim esse mundo a parte cognitivo sempre se mostrou bom pra mim e eu adoro essa realidade alternativa, rs, que por mais surreal que seja quando eu posso entrar em concordancia com o que faz parte do mundo que vivo de fato eu tenho um sentido mais amplo da coisa.

Certas coisas só fazem sentido quando utilizamos o outro lado do nosso cérebro enquanto as vezes só fazem sentido com a razão, por vezes as vezes ambas se adequam. Mas na real nem sempre o que na nossa concepção material faz sentido sempre se está definido como sem sentido, eu uso muito disso. Um verdadeiro livro se eu te dizer, rs.

Pra começar, e pra lhe ser sincero, aqui esclarecendo e sendo verdadeiro pra aqueles que ainda omiti, rs! Cara eu nunca experimentei cogumelos alucinógenos, nem tive experiências com lsd ou droga psicodélica parecida, e não que drogas eu não tenha usado, rs. Mas no intanto de uns tempos pra cá eu na minha curiosidade acabei por pesquisar sobre os cogumelos mágicos, na minha simples curiosidade por drogas similares ao lsd e a mescalina, tá rs, prosseguindo...

Aí eu não me lembro de que forma foi que eu conheci mais adentro como os efeitos são, não sei se o tempo de duração eu vi mais adiante ou se foi os efeitos amenos que o lsd, enfim, aí fui vendo alguns relatos na net, e por fim acabei por me dar conta de que aquela onda específica ali era a que eu procurava pra mim, mas não como algo de simples curiosidade, vai escutando "lendo, rs"...

Não se trata de uma curiosidade pra mim pq de fato os efeitos da psilocibina ou psilocina eu tenho despertado dentro de mim a anos, mas sem fazer o uso, simplesmente por ocasionamento corpóreo a famosa mutação, com certeza é algo que eu engiro e que em função do meu momento propício e organismo faz as alterações ali, e de fato o meu corpo produz essas substâncias. Mas não é algo programado e nem que se controle, no intanto a minha busca em tal momento até mesmo por via sobre a natureza em algo que possuíse tal determinada substância por vez se fez mais intença e profunda a partir do momento em que não tive tais apíces de estado alterado da consciência com tanta frequência, pq isso pra mim era quase que rotineiro e vira e mexe de uns anos pra cá até a pouco tempo eu sentia. Agora vamos pra o que de fato era a minha experiência, pra que eu possa chegar de fato aonde eu quero no assunto...

Vou esclarecer o máximo possível mas sem grandes resumos e esplicações a parte. Pra começar eu sou um cara muito extressado (forte extresse mesmo) tenso, problemático, e ao mesmo muito calmo e sensível quando não extremo dependendo da ocasião, parecido com muitos e ao mesmo indiferente com o meu própio jeito a parte, devido a tais circunstâncias como dito o extresse pra mim é algo como um parasita no meu corpo, está sempre ali fazendo do parte de mim.

Eu fumo, eu bebo as vezes, e bebo muito café tbm, apesar de td eu não tenho tempo pra uma valvula de escape que me transmute novamente a aquela alegria como nas épocas de infância e ao mesmo não me sinto mal por isso, pq sou bem programado e por vez tbm já vive muitas coisas boas na vida até então por mais que o tempo me enforque o tempo td, mas me baseio no tempo que eu mesmo posso criar para minha vivência.

Com base nisso td certos sentimentos e momentos por vezes me levaram a um certo estado de consciência em determinados momentos, mas como algo que surge no ar quando ali vc se depara em certas ocasiões muito específicas, assim como num estado de transe, e por vez já tive várias experiências sobrecomuns voltadas a esse lado alterado da percepção, tbm sou muito informado sobre td, nunca me fiz um alienado, e sempre tiver o prazer pelo estudo e vontade de querer saber sobre as coisas que dispertam o interesse de modo geral. Por isso tbm nunca me senti desconexo a tais anormalidades perceptivas, e muito disso eu já experimentei...

Aquela velha frase do Jô Soares em que ele diz, "se a caneca me dizer bom dia eu digo a ela novamente bom dia caneca", rs.

Pra não ficar muito longo eu sempre fui ligado muito a coisas sobrecomuns tbm e desde a infância ou que dira até a td o que eu tenha vivido até então, e já tive experiências foras do comum ou ao que define a nossa realidade padrão de sociedade assim desde lá pequeno. O que muitos dizem espiritismo, mas não só por esse lado da coisa quando muitas coisas vemos e temos experiência tbm...

Adentrando em um pouco de minhas experiências psicodélicas quando já depois de digamos velho, ou de alguns anos pra cá, eu entrava em estado de transe definitivamente falando, mas de uma forma difícil de explicar e que pra quem já teve experiências do tipo ou que ao menos faça o uso de substâncias que tenham o poder de estimular, enfim é fácil ds se compreender, e logo de cara como algo explícito se reconhece sem grandes definições ou adentramentos ao em torno pra se saber do o que se trata, assim eu tbm pude ligar uma coisa a outra...

Mas o do pq de eu concordar e discordar contigo é pq além das experiências de tais estados e das substâncias em questão eu já estive em uma conexão mais profunda da coisa e por vez posso lhe afirmar que nem sempre o que se faz parte unica e exclusivamente a esse mundo a parte fica restrito a ele, e mesmo que de fato por certas vezes não seja algo que se defina conclusivo logo quando se tem o íntimo sobre tais questões de cara se tem o preceito sobre a verdade por mais nem sempre seja algo que se defina.

Eu já coisas aparecerem sem razão o que antes ali não estava e em locais pretenciosos, já tive experiências fora do corpo, já tive percepção extrasensorial, por vez já fui objeto tbm da experiência de outrem como receptor, e tive diversas outras experiências bizarras, rs, põe diversas mesmo nisso td, e por mais que não seja algo ligado inteiramente único e exclusivamente a nós, no fundo agente sabe que se trata fazer parte desse mundo a parte, e que tbm involve as realidades retratadas.

Mas indendente se a experiência vivida seja boa ou ruim, o que eu posso dizer é que pra mim nunca se fez ruim pra quem sabe viver o momento e curti um pouco dessas necessidades de coisas boas e ruins, assim como um lobo que necessita dos lugares escuros pra poder caminhar a noite sobre o seu ou não domínio, as vezes parece tão mais relusente que o mundo em que vivemos, e nele vamos se adequando sobre o nosso próprio mundo, nos modificando e vivendo essa metamorfose, e ao mesmo modificando sobre o que pensamos dele pra nós mesmos. O importante é saber conciliar as coisas, e procurar ao máximo não se ver perdido. Eu me dou muito bem conciliando essas 2 realidades, e ao mesmo fazendo dela algo em meu favor, o importante é se fazer fora da razão. Mas eu penso durmindo, faço contas em meio aos 2 estados, crio definições em pensamentos lógicos, e por aí vai. Quase nem penso para resolver problemas ou algo do tipo, minha percepção em relação a psilocibina e a psilocina antes dela e depois é só o que vem a melhorar... 😉😊

Muita luz pra tds nós.
 
Última edição:

Tucum

Hifa
Membro Ativo
Gente existe uma coisa que se chama realidade. Alguém explica assim oh:

"Realidade é o que contimua existindo, mesmo se você não acreditar. "
 

Ecuador

Artífice esporulante
Administrador
Há controvérsias se há uma realidade fixa inerentemente existente ...
 

juninho22

Hifa
Membro Ativo
Entendi o que disse e concordo quando estou com a mente limpa.

Mas tive varias trips que me fariam pensar totalmente diferente.

Você falou que a realidade dos 5 sentidos é real, o problema é caso os 5 sentidos não sejam, então consequentemente a realidade não seria.

Não sei se já experimentou uma viagem dessas, mas questiona-se até a sua existência, de outras pessoas, quem dirá da física, da química.
Como posso confiar na física se tem uma cadeira voando?
Como posso confiar na química se vejo objetos surgindo do nada.
Matematica... não consigo nem contar quantos dedos eu tenho.

Como falei, é algo que, para mim, acaba com a trip. Volto ao "padrão" da realidade.
Mas durante é bem complicado, não tenho como explicar.

--------------------------------

Deixo outra questão que eu tenho pensado a algum tempo, sem definir algo.

Uma pessoa que sofre com esquizofrenia, que tem alucinações, aqui digamos que veja um outro homem, que só ele vê.

Ele consegue ver esse homem, ele consegue escutar esse homem, mas apenas ele.
Descobriu que era alucinação quando outras pessoas falaram a ele.

Ele sabe que as outras pessoas não conseguem ver, mas para ele é como se fosse uma pessoa igual as outras.
Não conta para os outros pois sabe que será ridicularizado.
Quando perguntam ele fala que sofre alucinação para parecer que está consciente da situação.
Mas no fundo acredita que aquele homem é real, talvez seu amigo ou inimigo.

Isso me fez procurar muita leitura, mas ainda não cheguei a uma conclusão.
Gostaria que expressassem o que acham.

Esse homem é real para essa pessoa?
O dia que a ciência responder essa pergunta com clareza talvez possa haver uma resposta, mas muito bem observado Texugo, e se o esquizofrenico for pinguço talvez já se tenha a resposta, rs. Mas e se for realmente uma alma penada, ou algum ser viajante pra fora do corpo, ou mais uma simples criação do pensamento forçado, ou sei lá o que. Enfim, não é uma resposta que se aplique para tds as ocasiões, e simplesmente é diferente para tds os meios 🙄
 

Naberus

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Pow mano, concordo contigo em partes, rs. Concordo que agente tem que manter os nossos pés no chão e viver essa realidade aqui, isso é fato, rs.

Mas eu num sei pra vc, ao menos pra mim esse mundo a parte cognitivo sempre se mostrou bom pra mim e eu adoro essa realidade alternativa, rs, que por mais surreal que seja quando eu posso entrar em concordancia com o que faz parte do mundo que vivo de fato eu tenho um sentido mais amplo da coisa.

Certas coisas só fazem sentido quando utilizamos o outro lado do nosso cérebro enquanto as vezes só fazem sentido com a razão, por vezes as vezes ambas se adequam. Mas na real nem sempre o que na nossa concepção material faz sentido sempre se está definido como sem sentido, eu uso muito disso. Um verdadeiro livro se eu te dizer, rs.

Pra começar, e pra lhe ser sincero, aqui esclarecendo e sendo verdadeiro pra aqueles que ainda omiti, rs! Cara eu nunca experimentei cogumelos alucinógenos, nem tive experiências com lsd ou droga psicodélica parecida, e não que drogas eu não tenha usado, rs. Mas no intanto de uns tempos pra cá eu na minha curiosidade acabei por pesquisar sobre os cogumelos mágicos, na minha simples curiosidade por drogas similares ao lsd e a mescalina, tá rs, prosseguindo...

Aí eu não me lembro de que forma foi que eu conheci mais adentro como os efeitos são, não sei se o tempo de duração eu vi mais adiante ou se foi os efeitos amenos que o lsd, enfim, aí fui vendo alguns relatos na net, e por fim acabei por me dar conta de que aquela onda específica ali era a que eu procurava pra mim, mas não como algo de simples curiosidade, vai escutando "lendo, rs"...

Não se trata de uma curiosidade pra mim pq de fato os efeitos da psilocibina ou psilocina eu tenho despertado dentro de mim a anos, mas sem fazer o uso, simplesmente por ocasionamento corpóreo a famosa mutação, com certeza é algo que eu engiro e que em função do meu momento propício e organismo faz as alterações ali, e de fato o meu corpo produz essas substâncias. Mas não é algo programado e nem que se controle, no intanto a minha busca em tal momento até mesmo por via sobre a natureza em algo que possuíse tal determinada substância por vez se fez mais intença e profunda a partir do momento em que não tive tais apíces de estado alterado da consciência com tanta frequência, pq isso pra mim era quase que rotineiro e vira e mexe de uns anos pra cá até a pouco tempo eu sentia. Agora vamos pra o que de fato era a minha experiência, pra que eu possa chegar de fato aonde eu quero no assunto...

Vou esclarecer o máximo possível mas sem grandes resumos e esplicações a parte. Pra começar eu sou um cara muito extressado (forte extresse mesmo) tenso, problemático, e ao mesmo muito calmo e sensível quando não extremo dependendo da ocasião, parecido com muitos e ao mesmo indiferente com o meu própio jeito a parte, devido a tais circunstâncias como dito o extresse pra mim é algo como um parasita no meu corpo, está sempre ali fazendo do parte de mim.

Eu fumo, eu bebo as vezes, e bebo muito café tbm, apesar de td eu não tenho tempo pra uma valvula de escape que me transmute novamente a aquela alegria como nas épocas de infância e ao mesmo não me sinto mal por isso, pq sou bem programado e por vez tbm já vive muitas coisas boas na vida até então por mais que o tempo me enforque o tempo td, mas me baseio no tempo que eu mesmo posso criar para minha vivência.

Com base nisso td certos sentimentos e momentos por vezes me levaram a um certo estado de consciência em determinados momentos, mas como algo que surge no ar quando ali vc se depara em certas ocasiões muito específicas, assim como num estado de transe, e por vez já tive várias experiências sobrecomuns voltadas a esse lado alterado da percepção, tbm sou muito informado sobre td, nunca me fiz um alienado, e sempre tiver o prazer pelo estudo e vontade de querer saber sobre as coisas que dispertam o interesse de modo geral. Por isso tbm nunca me senti desconexo a tais anormalidades perceptivas, e muito disso eu já experimentei...

Aquela velha frase do Jô Soares em que ele diz, "se a caneca me dizer bom dia eu digo a ela novamente bom dia caneca", rs.

Pra não ficar muito longo eu sempre fui ligado muito a coisas sobrecomuns tbm e desde a infância ou que dira até a td o que eu tenha vivido até então, e já tive experiências foras do comum ou ao que define a nossa realidade padrão de sociedade assim desde lá pequeno. O que muitos dizem espiritismo, mas não só por esse lado da coisa quando muitas coisas vemos e temos experiência tbm...

Adentrando em um pouco de minhas experiências psicodélicas quando já depois de digamos velho, ou de alguns anos pra cá, eu entrava em estado de transe definitivamente falando, mas de uma forma difícil de explicar e que pra quem já teve experiências do tipo ou que ao menos faça o uso de substâncias que tenham o poder de estimular, enfim é fácil ds se compreender, e logo de cara como algo explícito se reconhece sem grandes definições ou adentramentos ao em torno pra se saber do o que se trata, assim eu tbm pude ligar uma coisa a outra...

Mas o do pq de eu concordar e discordar contigo é pq além das experiências de tais estados e das substâncias em questão eu já estive em uma conexão mais profunda da coisa e por vez posso lhe afirmar que nem sempre o que se faz parte unica e exclusivamente a esse mundo a parte fica restrito a ele, e mesmo que de fato por certas vezes não seja algo que se defina conclusivo logo quando se tem o íntimo sobre tais questões de cara se tem o preceito sobre a verdade por mais nem sempre seja algo que se defina.

Eu já coisas aparecerem sem razão o que antes ali não estava e em locais pretenciosos, já tive experiências fora do corpo, já tive percepção extrasensorial, por vez já fui objeto tbm da experiência de outrem como receptor, e tive diversas outras experiências bizarras, rs, põe diversas mesmo nisso td, e por mais que não seja algo ligado inteiramente único e exclusivamente a nós, no fundo agente sabe que se trata fazer parte desse mundo a parte, e que tbm involve as realidades retratadas.

Mas indendente se a experiência vivida seja boa ou ruim, o que eu posso dizer é que pra mim nunca se fez ruim pra quem sabe viver o momento e curti um pouco dessas necessidades de coisas boas e ruins, assim como um lobo que necessita dos lugares escuros pra poder caminhar a noite sobre o seu ou não domínio, as vezes parece tão mais relusente que o mundo em que vivemos, e nele vamos se adequando sobre o nosso próprio mundo, nos modificando e vivendo essa metamorfose, e ao mesmo modificando sobre o que pensamos dele pra nós mesmos. O importante é saber conciliar as coisas, e procurar ao máximo não se ver perdido. Eu me dou muito bem conciliando essas 2 realidades, e ao mesmo fazendo dela algo em meu favor, o importante é se fazer fora da razão. Mas eu penso durmindo, faço contas em meio aos 2 estados, crio definições em pensamentos lógicos, e por aí vai. Quase nem penso para resolver problemas ou algo do tipo, minha percepção em relação a psilocibina e a psilocina antes dela e depois é só o que vem a melhorar... 😉😊

Muita luz pra tds nós.
Entendi o que disse.

É que ao meu ver, essa realidade fantástica que pode ser experimenta não é externa a realidade material perceptível, e sim apenas uma variação, uma distorção ou uma extensão da mesma.

Dessa forma os cogumelos não seriam uma ferramenta para ter acesso a outras realidades ou entidades externas a essa realidade, e sim uma ferramenta para simplesmente estendê-la e proporcionar formas diferentes para a percebermos.
 

juninho22

Hifa
Membro Ativo
Entendi o que disse.

É que ao meu ver, essa realidade fantástica que pode ser experimenta não é externa a realidade material perceptível, e sim apenas uma variação, uma distorção ou uma extensão da mesma.

Dessa forma os cogumelos não seriam uma ferramenta para ter acesso a outras realidades ou entidades externas a essa realidade, e sim uma ferramenta para simplesmente estendê-la e proporcionar formas diferentes para a percebermos.
Concordo plenamente, mas os seus efeitos são utilizados como ferramentas para tal feito, rs. Assim como qualquer outra droga, não passa de uma droga, senão o nome seria outro, mas o fruto de seu estudo e a sua aplicação é tanto estudo como assim diversas outras drogas e que por vez já foram estudas e testsdas de diversos e tds as formas e aplicações e nada chega em nossos mãos que assim do mercado seja sem que por tal maneira assim fosse.

Desde que o mundo é mundo vários foram os experimentos, e sobre a ambição de alguns esse prejeito foi até mesmo brusco e agressivo em tds as infinilidades de formas.

Um exemplo simples disso é que eles sejam umas das drogas mas próximas para se chegar a um estado hipnótico e definitivamente induzido, tanto para manipulação de outrem quanto para o estado "enteógeno (essa palavra não é a que melhor se define por ser incorreta para tal meio)", continuando.

No entanto se tendo a consciência do o que de fato se esteja fazendo, a KGB meu amigo cansou de usar drogas para tais finalidades e fazer pesquisas intenssivas durante a época da guerra fria, não sei de fato fora com cogumelos mágicos, assim como a CIA e outros orgãos com o LSD, não é um preceito 100% certo mas muito utilizado sim.

E de modo que se possa contorcer, alterar determinadas realidades tbm, assim como a mente é força criadoura, quando o que se importa em grande percentual é o modo pelo o qual se interprete e se tenha compreensão das coisas, se logo vc pode utilizá-los como ferramenta para uma melhor percepção logo vc pode utilizá-los como ferramenta de desperte de determidas funções extrasensoriais por não acessadas e nem desenvolvidas por quais pessoa sobre tds as áreas.

Só pra resumir e deixar a minha opnião a respeito expressada de modo claro de modo a entender "sem estar induzindo ngm a nada, fora da minha pretenção a questão aqui!". Aproveitando que vc tocou num ponto de muita importancia, a questão de estar fora do senso de verdade, o que eu tenho pra deixar em aberto tbm é que nem td distorção ou estado alterado da consciência de fato possa ser voltado pra esse lado do inrreal, um exemplo simples disso são os animais e até mesmo pessoas com determinadas deficiências...

Cachorros ouvem melhor que nós seres humanos, pessoas cegas tem a audição mais apurada que nós, aves noturnas enxergam melhor que nós no escuro.
Pessoas que se consideram sensitivas veem, sentem, e ouvem coisas que a ciência por si só nem sequer os almeja torná-los com doenças psiquiatras, os morcegos se conduzem de certar forma pelo som, as baleias emitem sons cujos quais nós sobre o nosso cérebro comum não podem ouvir, e assim para as baleias são os golfinhos, e as furmigas sobre a sua comunicação e por aí vai.

De modo correto não é certo de se afirmar que uma ou determinada substância seja o sinônimo de uma percepção mais dentro do regular sobre a nossa concepção, mas existem tbm diversas formas de se enxergar fazendo delas o caminho para a razão.

No intanto isso é de cada um, não creio que uma mesma substância possa ser o fruto da verdade para um enquanto seja para outro o sinônimo de uma inconstância, evindencializando a clara distorção entre uma possível realidade dualista. O que tbm não significa que não possam existir meios, objetos, e drogas mais padronizadas para tal fim.

Posso até ser indagado como louco por pensar assim para muitos e sobre diversas as visões, mas Albert Einstein que é considerado o pai da teoria da relatividade geral por muitos se fora considerado louco até que não se desmestificado por melhor a sua ciência, no entanto até hj sobre os olhos muitos há controvérsias, rs. Então isso é muito relativo, rs.
 
Última edição:
Superior