Tenha uma boa frutificação!!!

M

Mauricio

Visitante
O que achei interessante na tek é que o bolo vai 'chupar' a água conforme a necessidade, sem risco de inundá-los.
O volume do canudo é pequeno frente a demanda do bolo, mesmo que pequeno, sem falar que tem que abastecer o canudo. A seringa tá lá com água é só eu quero tchu eu quero tcha.

Talvez seja até plausível usar tanques de oxigênio... Quem sabe?
Basta circular ar com eficiência, oxigênio puro é para inflamar o bolo.
apaga ! apaga !


Dá pra fazer bolos com cordão grosso e deixar a ponta pra fora mergulhado num pote com água, funciona, mas é mais simples injetar água.
 

Ecuador

Artífice esporulante
Administrador
Dá pra fazer bolos com cordão grosso e deixar a ponta pra fora mergulhado num pote com água, funciona, mas é mais simples injetar água.

É que quem já tentou injetar água no bolo, como eu, viu que ela não fica lá esperando a absorção. Sai pelo furo de volta e escorre.

Mas pode ser questão de como o bolo está.
 
M

Mauricio

Visitante
É que quem já tentou injetar água no bolo, como eu, viu que ela não fica lá esperando a absorção. Sai pelo furo de volta e escorre.

Mas pode ser questão de como o bolo está.
Tem que ter paciência, se mandar tudo de uma só vez sai sim.

Não sou muito adepto de bolo, acho bulk e casing mais simples e eficiente. Mas um bom bolo deve ter uma proporção bem elaborada.

Se for lá na receita do PF, vai ver a proporção de vermiculita para grão 2/1, que ninguem obedece.
A vermiculita é que acumula água e retem durante o dunk ou injeção.

É engano pensar que mais grão é melhor, a rede de micélio e o corpo do fruto é 90% água.

Se eu fosse fazer um bolo hoje, mandaria com mais vermiculita do que 2/1, ou cordão de algodão também dá.
 
Editado por um moderador:
Superior