Seleção genética B+

HiagoRocha

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Vou deixar o tópico como uma espécie de diário desse trabalho de isolamento, para que fique como referência futura...

A ideia é chegar em um micélio 100% rizomórfico e deixar registrado os métodos utilizados, a progressão, quantidade de repiques necessários, etc.


Então vamos lá..

Material utilizado:

BDA da Acumedia
5 placas petri de vidro
Parafilm "M"
Plastico filme PVC
Erlenmeyer plastico
Àgua destilada
2 pinças

Gostaria de deixar o valor que paguei no BDA, Parafilm etc, porém os comprei a aproximadamente 2 anos e junto com outros materiais, então não faço ideia...

*Fácil de adquirir em qualquer loja de revenda de produtos para laboratório... No caso comprei na Prolab.

08/06 --
Fiz a preparação do BDA com 250ml de àgua destilada (pré aquecida no microondas) + 10g do produto que vem em pó, direto no erlenmeyer... Esterilização por [Edit]20min na PP, a tampa do erlenmeyer semi aberta e uma outra "tampa" de alumínio para precaver de contaminações. Ficou esfriando até o dia seguinte.
IMG_4406.JPG

09/06 --
Antes de tirar o BDA da PP, pré aqueci para amolecer, e ainda assim foi necessário colocar no microondas e dar boas chacoalhadas até voltar a líquido..
Fervi as placas em uma panela, e antes de colocar na glove passei alcool 70 em gel (como também no restante do material que entrou)
IMG_4368.JPG IMG_4367.JPG IMG_4369.JPG

Iniciei de uma forma não muito convencional...
Para as primeira colonizações ao invés de utilizar o multi-esporos ou um cogumelo fresco, aproveitei um milho colonizado que já iria mandar para o terrário e selecionei algumas ligações de hifas feitas entre um milho e outro que já apresentava aspecto rizomórfico... Cuidadosamente fiz essa seleção utilizando as pinças e fui colocando em cada placa...
Vedação realizada com tiras do parafilm que realmente é um material excelente e facilita muito a vida.. Juntei todas as placas com o plástico filme, mais para ajudar no manuseio e mandei para incubadora
IMG_4372.JPG IMG_4373.JPG IMG_4374.JPG

18/06 --
E aqui a situação atual deles
Achei interessante essa placa que contaminou, que o micélio esta passando por cima do invasor sem dó kkkk..
Visão geral
IMG_4395.JPG

Os dois lados de cada
Placa 1
IMG_4396.JPG IMG_4397.JPG
Placa 2
IMG_4398.JPG IMG_4399.JPG
Placa 3
IMG_4400.JPG IMG_4401.JPG
Placa 4
IMG_4402.JPG IMG_4403.JPG
Placa 5
IMG_4404.JPG IMG_4405.JPG

Por enquanto as placas 4 e 5 estão com melhor aparência..
Ainda não sei se vou adquirir mais placas para agilizar o processo, ou se vou passando de 1 para outras 4

É isso, logo trago as próximas atualizações
 
Última edição:

Arcturus

Cogumelo maduro
Membro Ativo
No meu achismo "Isolamento" sem microscópio e sem conhecimento é um tiro no escuro, não ha certeza de que você tenha realmente isolado alguma coisa e se o que foi isolado corresponda realmente com as expectativas. Acredito que seria mais proveitoso assim como é feito comercialmente em comestíveis e medicinais realizar o procedimento de clonagem, simples, produtivo, eficaz e direto ao ponto. Segundo o @figurinha clone não limita a genética tanto quanto imaginamos, ja que o "clone" seria o isolamento de um grupo de indivíduos compatíveis entre si.
 

HiagoRocha

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Então @Arcturus, a ideia é chegar no rizomorfismo, que já possui evidencias de ser um genética melhor do fungo, o que pode trazer alguns benefícios na produção em vários aspectos..

Nesse caso não vamos chegar lá de uma única vez, o que pra isso realmente seria necessário, um laboratório e conhecimento, como você disse...

Mas vamos chegando lá aos poucos... A cada novo repique, será repassado apenas os setores rizo, e observamos o desenvolvimento posterior..

Assim que chegarmos em um placa que apresente de forma uniforme esse setor, podemos concluir que estamos com uma única genética desenvolvida.. (diferente do que vemos nessas primeiras placas, onde cada parte apresenta um formação diferente.)

Com isso temos também a vantagem de evitar a competição entre as várias genéticas pelos nutrientes, o que acontece quando fazemos inoculação multi-esporos, por exemplo.. (Já havia lido sobre isso no fórum, porém não encontrei a fonte.. Me corrijam se estiver errado)..

Enfim, só para acrescentar, tem esse tópico que utilizei como base a muito tempo, quando pensei em também fazer o isolamento.. Temos lá um exemplo de placa com micélio uniforme
https://teonanacatl.org/threads/seleção-de-genótipo-de-micelio-isolamento.5906/

173.JPG
 

Arcturus

Cogumelo maduro
Membro Ativo
rizomorfismo, que já possui evidencias de ser um genética melhor do fungo, o que pode trazer alguns benefícios na produção em vários aspectos.
Isso é mito, eu mesmo ja presenciei varias vezes a mudança de aspecto do micelio, isso varia muito de acordo com as condições e do meio.

https://teonanacatl.org/threads/reiniciando-o-início.4869/page-2#post-146985

Até mesmo em clones costuma desenvolver esses "setores" visíveis a olho nu. As vezes as hifas tomam sentidos diferente ou passam uma por cima das outras dando a impressão de serem setores diferentes.

No mais segue em frente, cada um com suas crenças rsrsrs.
 
Última edição:

HiagoRocha

Cogumelo maduro
Membro Ativo
Realmente, eu mesmo não descarto a possibilidade de não haver mudanças benéficas do que chamamos de isolamento

Minha crença no momento é de não ter certeza

E também sou a favor de utilizar a clonagem

Mas, como estou com possibilidade fazer, vou tentar concluir por mim mesmo se é válido ou não, colocando esse micélio para frutificar nas mesmas condições que já estou cultivando, e deixo minha experiência aqui..

Encontrei o link que me referi, postado pelo @Cygnus X 1
https://teonanacatl.org/threads/apostando-na-genética.67/

e outro do @Mortandello
https://teonanacatl.org/threads/isolamento-de-sub-strains-os-cubensis-tiram-alguma-vantagem-real-de-isolamentos.1126/
 
Editado por um moderador:

Agarikon

Hifa
Membro Novo
Boa tarde pessoal!

Acabei de ler o seu post @HiagoRocha e gostaria de dar minha opinião.

Você não precisa de microscópio tampouco de conhecimento prévio para fazer isolamento genético como o nosso amigo @Arcturus sugeriu. Basta selecionar algumas seções com crescimento mais veloz (as partes que estão chegando a borda da placa mais rápido) e rizomórfico (não é mito!) e transferir sucessivamente até chegar a um crescimento rizomórfico totalmente uniforme, indicando que se atingiu pureza genética.

O que realmente deve ser feito para que o processo valha a pena é isolar ao menos 3 diferentes variantes genéticas puras (de seções diferentes de uma placa, ou as melhores de três placas) e fazer um teste posterior frutificando as três ao mesmo tempo para averiguar qual a melhor de acordo com o seu objetivo (velocidade de colonização, mais potência, tamanho, número de pins, etc etc)

Finalmente após todo esse trabalho, se quiser guardar a cultura, terá de fazer um tubo de ensaio de rosca autoclavável com agar seco em ângulo (pesquise Master Culture Slant) e repicar as genéticas que quiser estocar para dentro desses tubos, fechar a rosca deixando levemente solta e fechar com Parafilm, deixar colonizar por duas semanas a temperatura de 20-24 graus e depois guardar na geladeira a não menos do que 5 graus. As culturas podem durar até 5-7 anos assim mas recomenda-se que sejam renovadas a cada dois anos pois o micélio perde vigor e entra em senescência conforme o tempo passa.

Fazer um print de algum cogumelo de um cultivo de uma variante genética pura não adianta para manter essa variante pois toda germinação multi esporos irá gerar diversas novas combinações genéticas!

Espero que tenha ajudado.

Abraços,

Agarikon
 

HiagoRocha

Cogumelo maduro
Membro Ativo
@Agarikon obrigado pelas informações, estou seguindo esses passos, confiante ;)

29/06 --
Realizei então o primeiro repique, como vocês podem ver cada placa estava com um aspecto bem diferente entre elas... Acredito que poderia ter deixado a placa que escolhi (nº4) colonizar mais, porém acabei levando em conta as outras que já estava chegando nas laterais, posso não ter feito o melhor.. Continuei com a mesma quantidade de placas então passei de 1 para 4

Placa 1
IMG_4469.JPG IMG_4470.JPG
Placa 2
IMG_4467.JPG IMG_4468.JPG
Placa 3
IMG_4465.JPG IMG_4466.JPG
Placa 4
IMG_4463.JPG IMG_4464.JPG
Placa 5
IMG_4461.JPG IMG_4462.JPG

Algumas ficaram bem amareladas embaixo, dando uma impressão de ressecamento, não sei o que quer dizer.

Fiz os cortes utilizando uma faca de ponta fina, pois estou sem bisturi, mas serviu bem...

O agar acabou ficando com bolhas pequenas, não sei porque, sendo que deixei praticamento o mesmo tempo para esquentar/esfriar, espero que não seja um problema mais tarde

IMG_4471.JPG

Hoje a colonização está com aprox 1cm de distancia do centro
 

tupy

★ vento sul ☆
Administrador
Pelas fotos, até agora, parece que nada muito promissor não? Conseguiu algum bom resultado?
 

Baal

Hifa
Membro Ativo
Puxa, quando eu crescer quero ser igual você. Confesso que não entendi nada, mas não tenho toda essa habilidade, admiro vocês que conseguem fazer isso :unhas::roflmao:
 

Finganforn

Primórdia
Membro Ativo
alguma atualização das placas?
 

Wanderer

Primórdia
Membro Ativo
Fiquei interessado em ver o andamento disso, @HiagoRocha tem mais fotos pra atualizar o post?

Apesar de não aparecer no fórum, acho que é minha primeira mensagem, eu estudo bastante sobre genética, micologia, enzimologia,
então eu vou tentar ajudar.

Quando você faz uma seleção artificial, você deve procurar um critério para essa seleção, por exemplo: crescimento rápido, adaptação à diferentes meios, resistência à competidores. Da forma como você está fazendo, ao meu ver, vai selecionar uma estirpe de crescimento rápido, com micélios compatíveis (irão se fundir facilmente em micélio reprodutivo), porém, "acostumados" ao ágar batata dextrose, possivelmente com dificuldades em outras etapas, como a adaptação a um nutriente diferente (ex. spawn de grãos de milho), entre outras coisas (temperaturas, competidores...). Diferente de uma seleção genética, em que você realmente isola os genes que tem as características que te interessam e exclui aqueles que não são do seu interesse. (As tecnicas são muito complexas, ninguém faria isso fora de uma indústria e sem muito dinheiro disponível).

Portanto, eu iria sugerir que você destacasse um objetivo prévio e então sim começar a seleção artificial. Ex: você quer um cogumelo grande, com bastante psilocibina, que cresce no meio que você mais tem disponível na sua cidade (vamos supor milho com feijão). Aí você faz o cultivo com este meio, coloca pra frutificar, seleciona os maiores cogumelos, que ficam mais azuis quando você corta eles, realiza clonagem destes espécimes, mantém uma estirpe conservada nas placas e segue clonando ela pra conservar.

Dá pra ver o seu empenho e dedicação, só acertar o "fio da meada" e vão sair bons frutos disso aí, valeu e boa sorte!
 
Superior