Teonanacatl.org

Aqui discutimos micologia amadora e enteogenia.

Cadastre-se para virar um membro da comunidade! Após seu cadastro, você poderá participar deste site adicionando seus próprios tópicos e postagens.

  • Por favor, leia com atenção as Regras e o Termo de Responsabilidade do Fórum. Ambos lhe ajudarão a entender o que esperamos em termos de conduta no Fórum e também o posicionamento legal do mesmo.

Qual a origem dos cubensis no Brasil?

Crânio

TeoBot
Membro da Staff
Membro Ativo
25/01/2005
106
91
teonanacatl.org
Você já foi em um pasto e viu todo o esplendor pós-chuva de inúmeros cubensis ao seu redor e se perguntou de onde veio esta dádiva?

-- Foi Deus???

Sinto muito, mas acho q não (as chances são maiores de q os portugueses tenham feito isto por nós do q Deus, o todo poderoso).

Em uma de minhas noites em claro, consegui chegar a um insight sobre a origem desta espécie tão querida q permeia os pastos de nosso país (e o meu terrário!), espero q compartilhem desta idéia comigo (e espero q isto realmente se encaixe como contribuição ao faq, apesar de não ser uma pergunta tão frequente assim)...

-- Nota-se q o cubensis é um amante de merdas, pelo menos o cubensis dos pastos é, por diversas razões (nutrientes, compostagem, umidade, etc) naturalmente ligado à fezes de animais ruminantes, esta adaptação à este tipo de nutriente não é um ato simplesmente consciente por parte do fungo, em ser a opção mais "economica" para o fungo no momento, é um processo cauteloso e extremamente demorado de seleção natural (em todo o espectro Darwinistico da palavra) onde levaram-se séculos ou até milênios para o organismo se adaptar à este tipo de substrato. A partir desta análise podemos traçar uma linha no tempo, q marque o momento mais "economico" para o organismo se adaptar a este tipo de nutriente, e isto foi e está sendo o momento humano de criação de gado (o q pode ser datado, de forma relativa, à 80000 anos atrás (eu dataria a milhões!)). Este momento q eu falo se trata do desenvolvimento da ciência e prática chamada pecuária, onde o gado é gerado e mantido em cativeiro até o momento de sua morte, esta ciência é extremamente antiga, talvez seja tão antiga quanto a agricultura por serem complementares de certa forma, e sua tecnologia é, hoje em dia, algo realmente impressionante, afinal de contas, grande parte do mundo é carnívoro e para alimentar tudo isto é necessária uma quantidade inimaginavel de carne, muito provavelmente estamos chegando no ápice de desenvolvimento da pecuária e portanto estamos no ápice de adaptação do micélio à bosta de vaca :eek: . Claro q eu não vou tão atrás no tempo para analisar a origem da espécie cubensis, estou apenas evidenciando o tamanho da situação para minha explicação fazer mais sentido.

Percebe-se q a possibilidade de existência de uma espécie cubensis realmente natural ao Brasil seja algo remoto, pois as condições pré-coloniais eram condições de densas florestas equatoriais com uma biodiversidade de flora e principalmente fauna grande demais para ocorrer uma especialização tão distinta como ocorreu no cubensis, isto obviamente não exclui a possivel existência de outras espécies de cogumelos, totalmente naturais ao Brasil, q estão até hoje escondidas em alguma floresta, tribo ou algum lugar. Creio q os primeiros esporos de cubensis a tocar o solo brasileiro devem ter vindo com o gado dos colonizadores (seja no estomago, no casco, no couro, na boca, ou o q for do gado), q já estavam totalmente adaptados ao substrato em questão e suas mutações, quando não foram acidentes, surgiram devido à adaptação ao meio ambiente brasileiro. O fungo seguiu então o caminho da pecuária, q se expandiu dos grandes centros da época (sudeste e nordeste) para o resto do país e hoje é uma atividade explorada nos mais diversos cantos do país, se aproveitou das condições q os brasileiros lhe proporam: com as devastações de matas para criar pastos criou-se o meio perfeito de locomoção dos esporos (o ar perfeitamente livre), número alto de fazendas de criação extensiva de gado (afinal temos muito espaço livre), nunca foi popularizado o uso de fungicidas nos campos, é uma verdadeira putaria no negócio de gado (o q significa intercâmbio de esporos) e o clima úmido em grande parte do país com boas épocas chuvosas; estas condições permitiram q o cubensis se proliferasse facilmente pelo país atingindo uma situação de predominância, tanto por estar muito bem adaptado ao substrato como por se adaptar ainda melhor às condições do ambiente em q foi inserido, e pelo q proponho, isto aconteceu já faz no mínimo uns 500 anos de adaptação ao Brazil, daí q é justo, pelo menos, afirmar q formou-se uma strain realmente brasileira de cubensis (mas a partir de um protótipo europeu!), mas isto se perde tbm na putaria do negócio de gado q comentei anteriormente, é bastante possível q a espécie de cubensis de seu pasto favorito não seja uma espécie brasileira, e sim de outro país, dependendo da origem do gado q perambula o pasto em questão.

Em relação à origem dos cubensis no mundo, bem, eu gostaria muito de acreditar q os cubensis surgiram no mundo junto com o desenvolvimento humano, isto é, os cubensis são domésticos desde o início do ínicio da espécie. Creio nisto por várias razões, uma delas é o notável fato q os cubensis só existem em locais onde já houve presença humana... o q diz muito, seja aqui ou em qualquer outra parte do mundo em qualquer momento histórico. Afinal de contas não é tão impossível pensar q a psilocibina seja uma forma de adaptação do cogumelo à sociedade humana!! Não é possível também dizer um ponto específico no mundo como origem disto, já q a presença destes na vida dos ameríndios parece ser extremamente antiga (chega a ser pré-histórico), não se pode argumentar q surgiu no méxico e de lá se espalhou pelo mundo através dos colonizadores pois existem dados pré-coloniais de cubensis na europa e em outros locais do mundo (na oceania por exemplo, e supostamente na grécia antiga), de fato, tentar traçar este panorama seria impossível pois nunca foi realizada pesquisas mundiais no mundo antigo sobre o assunto (nem existia a taxonomia direito para dizer o nome cubensis!!!). É possível q tenha saído do méxico e em 500 anos se tornado predominante no mundo e também é possível q já tenha sido predominante no mundo antes deste últimos 500 anos...

... portanto quando vc estiver no pasto e se perguntar de onde vieram os seus amigos ao redor, pense em Cristóvão Colombo, Dom Pedro Primeiro, a professora de história, etc ...
 
É possível q tenha saído do méxico e em 500 anos se tornado predominante no mundo e também é possível q já tenha sido predominante no mundo antes deste últimos 500 anos...

Eu acredito na segunda, antes dos ultimos 500s........é só olharmos a história da relação entre os cogumelos e o homem que veremos que já é bem mais antiga do q 500 anos. Mas se vc estiver falando especificamente do cubensis, vale lembrar a Tailândia e seus antiquíssimos cogumelos.

Bom pensar nisso, deu vontade de pesquisar mais.....
 
R. Gordon Wasson escreveu um livro totalmente out-of-print hoje em dia sobre a historia dos cogumelos no mundo, a partir desta pesquisa ele achou os cubensis e publicou um artigo no Times, daí em diante a coisa deslanchou...

Acredito q este livro seja a fonte mais segura de informações (ou melhor, uma das únicas fontes sobre o assunto e um dos primeiros trabalhos de campo sobre enteogenia, do ponto de vista antropológico contemporaneo) mas não sei o nome do bicho, não sei se existe como e-book...
 
saci disse:
Cygnus X 1 disse:
A partir desta análise podemos traçar uma linha no tempo, q marque o momento mais "economico" para o organismo se adaptar a este tipo de nutriente, e isto foi e está sendo o momento humano de criação de gado (o q pode ser datado, de forma relativa, à 80000 anos atrás (eu dataria a milhões!)). Este momento q eu falo se trata do desenvolvimento da ciência e prática chamada pecuária, onde o gado é gerado e mantido em cativeiro até o momento de sua morte, esta ciência é extremamente antiga, talvez seja tão antiga quanto a agricultura por serem complementares de certa forma, etc ...

Na real, acho q tem um 0 a mais nessa data, a agricultura data de aproximadamente 10000 anos atrás, e antecedeu em pouco a pecuária. Portanto data-la em 8000 anos seria mais correto, milhões de anos é um exagero, o Homo sapiens moderno data de aproximadamente 100000 anos. Nossos ancestrais conviveram com os Neanderthais durante um bom tempo.
Ao longo desses 30k , houve uma época de grande explosão cultural situada entre 60 e 30 mil anos atrás. mas o período mais crítico foi localizado a aproximadamente entre 11 e 10 mil anos, e foi marcado principalmente pelo desenvolvimento da agricultura e consequentemente, um abandono gradual do nomadismo, o chamado período Natufiano. Durante esse intervalo de tempo, houve escassez e muito perrengue, uma vez que estávamos aprendendo as técnicas de cultivo, as melhores espécies, as melhores terras e etc.

É nessa fase que os enteógenos podem ter sido de grande ajuda para a humanidade. Uma planta de poder ingerida "acidentalmente" pode ter revelado conhecimento imenso a nossos ancestrais, tanto no que diz respeito ao cultivo, como, principalmente, em preparaçao e detoxificação de alimentos, tanto para o corpo como para a alma. A própria origem da preparação do Ayahuasca remete a esta época e esse modo de se obter conhecimento.

Desse modo, é bem plausível afirmar que a relação Humanos/Cogumelos seja muito mais do que herbivoria, seja uma Simbiose, onde as duas partes se beneficiam. Além de poder ser bem mais antiga, datando de prováveis milênios.

Recomendo um livro do Arqueólogo Steven Mithen: "A pré-história da Mente- Uma busca das origens da Arte, da religião e da Ciência" Ed.Unesp 2002.

Tão longe quanto minha mente me permite ir, a pre-história é pura especulação, com ou sem zeros a mais... vc pode levar o ponto de vista da ciencia contemporanea (q é o default de fábrica graças ao sistema educacional), o ponto de vista religioso (q tbm é default em algumas fábricas/famílias), o ponto de vista mistico (teosofia por exemplo), o ponto de vista cego (não existem especulações a respeito do assunto), e afinal de contas o seu ponto de vista, q pode ser qualquer um destes individualmente ou misturados, ou ainda nenhum destes... pode ainda inventar o seu próprio da forma q bem quiser. Pelo menos até o momento em q possamos consultar a nossa memória biológica de forma segura, e através da memória viva de nossos antepassados realmente rever a tapeçaria do tempo com precisão definitiva, até conseguirmos isso acho meio difícil dizer com absoluta certeza definir qualquer coisa sobre eras precisas da pré-história (muitas vezes para mim a antropologia moderna soa como ficção!).

Eu tendo para a margem dos milhoes por influencia teosofica, se vc acha a antropologia mais plausível de qualquer forma nada te impede de estar certo. :)

Eu gosto de creer na idéia do espírito humano sendo a quintessência da vida neste planeta, tendo surgido muito antes do estado atual de condensação da matéria no planeta e experimentado todos os estados materiais e não materiais de existência até o momento atual... enquanto a ciência vê o salto evolutivo do homem como um acidente na linhagem dos macacos, a teosofia vê a humanidade como a individualidade mais antiga deste planeta da qual todas outras espécies evoluiram (dá para creer em espírito humano nas proto células antigas?) e portanto é o ponto mais alto da evolução cognitiva, simplesmente pq é o mais antigo e já passou por todos estados de materialização q os outros seres estão passando... não é simplesmente um acidente o fato do homem estar nesta posição de quebra de limites de sua natureza, é simplesmente inevitável, sendo os mais antigos, somos nós q devemos lidar com o futuro primeiro, antes de nossos filhos (o resto dos seres vivos e o mundo por si mesmo). Acredito na síntese da religião, ciência e filosofia desde q seja utilizada como fonte a essência de todas estas coisas, algo atemporal: a intuição humana.

Isto não tem nada a ver com o assunto da origem dos cubensis no Brasil, apesar de se referir à uma possível forma de simbiose extremamente sutil. Só tava explicando meu meio ponto de vista. Apesar de não creer q possa especular com certeza sobre o passado, ainda creio q a data q apresentei não é implausível para o desenvolvimento perceptível da pecuária da perspectiva antropológica, dá ou tira uma margem de erro meio grande. Da perspectiva teosofica, bem, o caso de amor entre humanidade e cogumelos psicoativos é coisa de bilhões de anos.
 
Fungus Omnia disse:
Através de muitos estudos já encaminhados pelos Wasson´s, McKenna conseguiu chegar a conclusão que os cogumelos (psilocybes) surgiram na África, sendo esta a sua terra natal. Anotações remotas através de pinturas e monumentos antiquíssimos confirmam essa hipótese. Tenho disponível o texto aqui em casa (no livro mais precisamente), e estou com pouco tempo agora pra digitar páginas e páginas (acredite, é um texto bem longo), mas se eu notar que é de grande interesse de boa parte da galera aqui do fórum, eu disponibilizo pra geral. (apesar que eu axo mais interessante o pessoal ler o livro na integra...)

Agora, quanto a chegada ao Brasil eu acho mais pertinente a hipótese de que os esporos já existiam antes da chegada dos portugueses, e com a vinda deles, apenas propiciaram o meio adequado a sua proliferação. Se você analizar adequadamente, o vento (principal meio de propagação dos esporos) é uma ferramenta muito eficaz e faz bem seu papel. Civilizações posteriores ao descobrimento do Brasil (ou seja, mais antiga que 500 anos) que existiam no México (Aztecas, Mazapatecas, entre outras mais) já tinham como característica a utilização do cogumelos mágicos (entre outras plantas e substâncias) em seu ritual. Do México para o Brasil é uma distância relativamente pequena, se você levar em conta que o ponto de partida originalmente foi a África. Claro que antes passou pela Bolívia, Peru, Colômbia, e nesse meio tempo, foi se adaptando aos diferentes ambientes, até chegar a uma variedade mais distinta, tão encontrada em nossos pastos hoje em dia.

Enfim, apesar de ser praticamente impossível chegar a uma conclusão totalmente precisa, as evidencias falam mais alto, e o raciocínio lógico nos ajuda muito nessas horas (e um pouco de cultura também é bem vinda).

saci disse:
Cygnus X 1 disse:
Tão longe quanto minha mente me permite ir, a pre-história é pura especulação, com ou sem zeros a mais...
Cygnus X 1 disse:
Bem, é claro q são dados estocásticos, pois estamos lidando com uma escala de tempo fora da nossa realidade, mas daí a dizer q é pura especulação vai uma diferença enorme. A mesma ciência q usamos para cultivar cogus é a ciência q analisa determinados processos físico-químicos e consegue produzir dados q nos permitam apontar certas datas e certos acontecimentos na história. Desprezar esses dados apenas por desprezar é tanto preconceito quanto comete um cientista ao afirmar que religião é bobagem...Os dados são mais arqueológicos do q antropológicos, isso tem grande diferença.

Quanto aos cubensis estarem aqui antes ou depois da chegada dos portugas, bem, poderíamos tentar descobrir se ocorrem cogus naturalmente em outros meios que não os cocôs bovinos. Sabemos que eles vegetam em outros meios, como os de cultivo, portanto não são totalmente dependentes do Boi, mas , alguém já viu cubensis em outro lugar, ou outra bosta? Taí um bom experimento...

Em nenhum momento eu desfiz meus argumentos, q acredito ter boas bases científicas, mesmo quando afirmei minha posição de flexibilidade em relação aos mesmos argumentos científicos expostos.

Entre meus diversos argumentos estão duas coisas q vcs comentaram, q eu tentei englobar no texto. A primeira é se os cubensis q existem neste exato momento são efetivamente brasileiros ou não, eu acho q não. Outra questão é q mesmo se o cubensis atual não seja brasileiro nato, é possível q exista ou tenha existido uma espécie nativa e alucinógena, antigo parente genético do cubensis "moderno" adaptado à vida em pastos (conforme escrevi em: "...isto obviamente não exclui a possivel existência de outras espécies de cogumelos, totalmente naturais ao Brasil, q estão até hoje escondidas em alguma floresta, tribo ou algum lugar..."), este antigo parente pode/podia muito bem estar adaptado a quaisquer condições regionais pré-colonização (seja em florestas amazonicas ou litorâneas, nos campos do sul etc...) mas perante o esquema q apresentei onde foi introduzida uma nova forma de viver para um fungo completamente não preparado para esta adaptação, em um espaço de tempo relativamente curto, acho improvável q esta espécie nativa consiga se adaptar e tornar-se dominante como (pelo menos) linhagem, ainda mais existindo raças e linhagens já adaptadas e latentes no gado q foi introduzido no Brasil.

Se vc analisar leigamente o esquema evolutivo é fácil compreender q todas as condições propostas pelo novo modelo de produção favoreciam a adaptação de uma espécie externa ao meio, q acabou se tornando um ambiente extremamente similar às condições de sua região natal. No caso da espécie nativa, ela deveria se adaptar às condições propostas pelo modelo pecuarístico e se adaptar às alterações q este modelo causou no ambiente.
Do ponto de vista estritamente genético, percebe-se q a raça de esporos q veio junto com o gado tinha linhagens muito mais preparadas para esta forma de propagação, enquanto q a raça nativa deveria primeiro começar a desenvolver as possíveis combinações genéticas q permitiriam a adaptação perfeita ao determinado meio de propagação. Ambas raças, por serem da mesma família, possuem no fim das contas, todas as possibilidades genéticas da família (os esporos de fora podiam ter se adaptado a outro meio totalmente diverso da pecuária da mesma forma q os esporos nativos daqui poderiam se adaptar ao meio pecuário de propagação), no entanto a diferenciação em raças e linhagens tende a limitar este espectro de possibilidades genéticas, sendo necessárias inúmeras gerações de tentativas genéticas para se atingir o status de adaptado, muitas vezes um número de gerações muito maior do q imaginável (500 anos deve ser mixaria para especialização de um fungo). Portanto a probabilidade de adaptação não é tão justa quanto parece, uma das espécies tende a prevalecer sobre a outra se ambas lutam pelo mesmo meio de propagação.

É como o azurescens, colonizador de matéria orgânica assim como o cubensis mas especializado em materiais com alta concentração de lignina (ou algo parecido), como a madeira de certas plantas específicas (não é por associação de micorrizas como os amanitas!). O azurescens tem em seu potencial não explorado, todas as possibilidades de adaptação ao meio do cubensis, e vice-versa. No entanto a especialização tende a diminuir o número de possíveis linhagens (q são simplesmente manifestações fenotípicas de uma específica combinação genética) na direção de mais especialização e mais eficiência, até q prove-se ao organismo q especializar é inadequado do ponto de vista evolutivo (a sobrevivência da espécie).

--=No fim das contas os europeus não colonizaram apenas um país ou continente, colonizaram um ecossistema.
 
Druida disse:
Vai saber se o primeiro "insight" do homem paleolítico quando entrou em contato com os cogumelos não foi exatamente o da domesticação de ruminantes?

Realmente é impressionante as raias alcançadas por Cygnus em suas divagações. Acho as teorias propostas possíveis e extremamente bem observadas.

Mas com meu lado direito do cérebro penso que um pasto é apenas um paraíso para os cubensis e que na verdade eles devem sobreviver por aí no meio do mato em bosta de cabras ou outros herbívoros na boa. E que ja existiam pelo mundo todo muito antes de pensarmos como 486's.

Mas voltando pro hemisfério esquerdo: Portugueses que nada! Muito antes alguma dessas aves migratórias trouxe entre as penas alguns esporos e semeou o Brasil. Aliás quem garante que na verdade eles não foram daqui pra lá? (Europa)

Quer dizer que ninguém mais acredita mais em papai noel? nem no teste de carbono 14?

Avohai

Falando sobre "será q eles não foram daqui para lá", bem... realmente existe a possibilidade histórica, tão remota quanto qualquer outra, de que os cubensis tenham migrado das regiões e civilizações americanas por meio das colonizações européias do "novo mundo".

Existe tbm a possibilidade do cubensis ter se desenvolvido em todas partes do mundo simultaneamente, o tipo de idéia q me agrada mais...

... ainda não confirmei plenamente mas o(s) Mckenna diziam q o soma hindu não é nem uma planta nem um amanita, e sim um psilocybe, assim as características "divinas" do soma são os efeitos (benéficos) das psilinas. Então aí fica difícil né.... se for mesmo então tem grandes chances de ter surgido na índia e então migrado para as américas.

acho q era o Leary quem dizia q os esporos fungais suportam até mesmo viagens intergalácticas (permitem viagens intergalácticas com certeza, não sei se realmente os esporos já fizeram estas viagens)... então estaríamos falando de um ser quase invencível, e qualquer lugar q já teve psilocybe iria ter a potencialidade, dadas condições adequadas, de renascer a espécie...

cada louco com sua idéia de verdade...
 
Pegaso disse:
vocês já ouviram falar de panspermia universal?

essa é a real origem dos cogumelos (e da vida)

a vida veio do espaço, assim como os esporos dos cogumelos.

Essa é uma visão muito restrita do q a vida pode ser. As coisas vivas não precisam ser organismos no sentido bioquímico da palavra...
 
Lupa disse:
levando em conta a hipótese de que os cubensis surgiram na áfrica, é bastante possível que tenham chegado nas américas com a ajuda do vento...
observando o fato de que todo ano uma certa quantidade de areia é transportada do deserto do saara pra cá, conclui-se que é bastante possível que esporos, também tenham feito esse percursso.

minha opinião é que eles chagaram aqui bem antes dos colonizadores, mas tiveram uma grande ajuda do gado, quando chegaram... acho pouco provável que tanham vindo junto com os portugueses, pelo fato de dessa forma terem pouquíssimo tempo para o desenvolvimento de linhagens e para a expanção territorial, levando em conta o tamanho da américa e a diferença de altitude do relevo... o tempo seria realmente muito pequeno, tendo em vista que o gado não chegou aqui a 500 anos, pois os portugueses demoraram algum tempo até decidirem fazer alguma coisa por aqui...
e pelo fato de haver registros do uso de cogumelos nas civilisações pré-colombianas, nesse caso acho pouquíssimo provável que se trate de outro genero se não o Psilocybe... se fosse, com certeza ainda existiriam, e os achariamos...

na minha opinião, é mais fácil crer que tenham percorrido todo o oceano atlântico, que não tem nenhum obstáculo, a muito tempo atráz... do que em quatrocentos e poucos anos tenham se expalhado dessa forma por toda a américa, mesmo com grandíssimos obstáculos (relevo).

observem.. a viajem da europa até a américa demorava meses no século XVI... possíveis esporos que estivessem no trato gastrointestinal dos bois já teriam sido descartados no caminho... e provavelmente os marinheiros jogavam as fezes do gado ao mar... quando chegassem aqui... provavelmente teriam os intestinos limpos de esporos...

Cygnus X 1 disse:
Essa é uma visão muito restrita do q a vida pode ser. As coisas vivas não precisam ser organismos no sentido bioquímico da palavra...

bom.. vida é um conceito.. concordo com você que esse conceito é pobre... mas o que nossa sociedade compreende como vida.. os fungos por exemplo... nessessáriamente precisam de ser organismos com metabolismo...

Eu nunca achei q os esporos viajassem pelo trato do gado, acho até bem improvável q uma boa quantidade de esporos sobreviva o processo de digestão dos ruminantes...

imagino q fique na pata, couro, pelos, etc... desse jeito aguenta MUITO tempo de viagem e não tem como evitar.
 
Só um update no assunto...

O tal do Agaricus Blazeii é uma "cultura" chinesa já faz uns tantos 4000 anos ou coisa parecida, aconteceu que chegou um chinês aqui no Brasil e encontrou um cogumelo parecidíssimo com o Blazeii chinês, eventualmente o corpo científico conseguiu comprovar que a espécie realmente era uma outra linhagem (ou melhor raça de esporos) de Agaricus Blazeii, o nome parece ser Agaricus blazeii Murril.

não tenho certeza quanto aos nomes, mas me lembro q o chinês tá tentando patentear a espécie, mas não consegue, apesar de ter patenteado o nome cogumelo do sol e instituído uma certa "norma" q diz q toda vez q disserem "cogumelo do sol" estão se referindo especificamente ao agaricus blazeii q só esse chinês aí produz, e só com as técnicas q ele usa para processá-los...

enfim, o grande lançe da história é q esse chinês achou uma mina de ouro no brasil, tá com uma pusta grana na mão agora e por quê vcs acham que isso aconteceu?

Seria por que esse chinês aqui no brasil com pouca tecnologia, pouco subsídio do governo e mão de obra barata conseguia competir com o maior produtor de cogumelos do mundo e da história (q é a china)?

Nada disso, não é a eficiência que fez o cara ganhar dinheiro...

A grande verdade é q o blazeii q encontraram aqui, e parece q realmente é nativo ao brasil (apesar de não ser efetivamente possível dizer isso), produz uma quantidade muito maior de beta-glicídios e outras firulas medicinais do que o blazeii da china. Não é apenas isso, ainda dizem q o cogumelo brasileiro produz mais simplesmente pq o sol do brasil q é tropical dá "energia" aos cogumelos e blah blah, todo o esquema zen-vergonha rolando.

É simplesmente uma raça bem mais forte e eficiente na produção destas substâncias medicinais.

Mas agora é tarde, nós já fomos roubados...
 
O seu argumento pode apenas tentar explicar a causa da disseminação do cubensis, mas não a sua origem no Brasil.
 
Tão longe quanto minha mente me permite ir, a pre-história é pura especulação, com ou sem zeros a mais... vc pode levar o ponto de vista da ciencia contemporanea (q é o default de fábrica graças ao sistema educacional), o ponto de vista religioso (q tbm é default em algumas fábricas/famílias), o ponto de vista mistico (teosofia por exemplo), o ponto de vista cego (não existem especulações a respeito do assunto), e afinal de contas o seu ponto de vista, q pode ser qualquer um destes individualmente ou misturados, ou ainda nenhum destes... pode ainda inventar o seu próprio da forma q bem quiser. Pelo menos até o momento em q possamos consultar a nossa memória biológica de forma segura, e através da memória viva de nossos antepassados realmente rever a tapeçaria do tempo com precisão definitiva, até conseguirmos isso acho meio difícil dizer com absoluta certeza definir qualquer coisa sobre eras precisas da pré-história (muitas vezes para mim a antropologia moderna soa como ficção!).

Eu tendo para a margem dos milhoes por influencia teosofica, se vc acha a antropologia mais plausível de qualquer forma nada te impede de estar certo.


Cara, onde eu andei nos últimos anos?! kkkk Acho que comi cogumelos demais e fiquei muito louco.

Não acredito que o cara venha falar que pré-história é pura especulação e colocar A TEORIA da evolução das espécies (CIÊNCIA) no mesmo patamar das LENDAS e mitos teosóficos.

Os cientistas podem até estar errados e a ciência prevê essa opção. Os sistemas místicos e religiosos, em sua vasta e esmagadora maioria, não.

Porém, os cientistas pelo menos estudaram, fizeram experimentos, raciocinaram.

O que fizeram os teósofos? Foram sentar e se concentrar nas palavras da Blavatski... eheheheh

Não tem comparação!

Desculpe, mas não há evidência alguma de que Atlântida existiu ou de que cinco espécies de seres humanos existiram ou que somos exilados de Capela. Por outro lado, a ciência já provou que nossos genes e dos macacos diferem apenas 1% (UM POR CENTO!).
 
eh muito dificil discutir esse assunto.
eu nao creio na criacao, porem tambem nao engulo a teoria(cientifica) da evolucao das especies como a melhor explicacao pois existe muito mais coisas que me indicam que somos mesmo filhos de outra civilizacao morta.
Mortandellos.
 
po cara millhares delas, tantas que eu nao estragaria seu prazer em pesquisar sobre OS OUTROS e coisas assim.

ahahahaha

O Leão da Montanha baixou por aí, é?! kkkkkk

Espero que não esteja falando da teoria controversa dos deuses astronautas.
 
Tá falando daquela cratera lá do México?
Sempre me perguntei qual o motivo de lá ser o local em que mais há enteógenos em profusão...
Hmmm, gostei, vou procurar mais sobre panspermia. :)
Isso aí no seu avatar é um athanor e o teu selo/sigilo/ponto riscado pessoal?
Abs!
 
Na minha opinião, a origem dos cogumelos são.
no Par da noite, chegão varios duendes e plantão os cogumelos com micelios no estercos, e esses anoeszinhos só deixam que os humanos os vejão, quando enjerem os cogumelos.
 
O cogumelo vem do coco da vaca, a vaca vem de outra vaca, que vem de outra vaca e assim vaica.
 
Back
Top