• Aqui contém tópicos de discussões automaticamente criados para os artigos que são enviados a nossa biblioteca. Para exibir o artigo, clique na aba "overview" dentro de cada tópico. Se você prefere navegar pelos artigos e não pelas suas discussões, acesse a biblioteca aqui. Ou clicando na aba "Biblioteca" em nosso menu principal.

Métodos de ingestão de cogumelos

JDM

Hifa
Membro Novo
Olá, gostaria de saber se consomem até o talo ou apenas o chapéu, comecei a pesquisar por agora e isso não ficou muito claro para mim, não sei em qual tópico comentar, espero não estar comentando no tópico errado ^^
 

Ecuador

Artífice esporulante
Administrador
Olá, gostaria de saber se consomem até o talo ou apenas o chapéu, comecei a pesquisar por agora e isso não ficou muito claro para mim, não sei em qual tópico comentar, espero não estar comentando no tópico errado ^^

Essa sua dúvida é recorrente, e já está respondida em algumas partes do fórum, além de ficar claro em muitos dos relatos de experiências.

Entretanto acrescentei a resposta lá no primeiro post desse tópico, para não deixar dúvidas. Verifique por favor.
 

Cogu-men

Esporo
Membro Ativo
Posso fazer um chazinho com pouca água só pra que o mate as possíveis contaminações e depois jogar tudo em um sucão de maracujá? Pq tenho medo de dar para meu amigo ingerir selvagens apenas em suco e ele zoar o estômago dele
 

Ecuador

Artífice esporulante
Administrador
nsigo vaporizar os cogumelos secos? irá surtir efeitos da mesma forma?
 

PedroMelco

Esporo
Membro Novo
Considerando (pelas andanças no fórum e em outros artigos) que ninguém consegue afirmar com certeza se existe diferença de potência entre fresco e seco (muito menos definir qual é mais forte), me parece que a escolha ficaria a gosto do consumidor em termos de sabor, facilidade de armazenamento e gosto pessoal.

Fiz uso de 1,5g secos nas duas primeiras vezes que comi e (talvez por estar em jejum) senti um enjoo rápido e chatíssimo nos primeiros 20 minutos após a ingestão.
Quase consigo sentir que esse enjoo seria mais forte e duradouro com eles frescos.
 

Tucum

Esporo
Membro Ativo
Fresco é mais forte sim irmão, tanto em intensidade quanto duração. Pessoal fala que tem que secar bem e guardar bem o mais rápido possível. Eu faço isso, mesmo assim pra mim o bom é consumir logo.
E eu também fazia altas frescuras tipo comer com açaí, o que tira o gosto do cogumelo totalmente. Até ter a viajem forte, ai o cogumelo mandou eu rever minha relação com ele. De lá pra cá eu faço como a Maria Sabina ensina, e como de 2 em 2, até o fim do talo, tudo. Porque "eles gostam de trabalhar em par, ou casal, e nao gostam de ficar sem os pés" ,por isso se come todo o talo. Sentindo bem o gosto.
Essa mulher era uma pessoa fantástica de um conhecimento íntimo dos cogumelos, foi curandeira e era conhecida como a sabia dos cogumelos. Muita gente do mundo todo procurou ela, até o Hoffman quando foi estudar sobre o xamanismo e uso tradicional das substâncias enteógenas procurou ela, e foi a ela quem ele deu os comprimidos de psilicibina, que foi ele tambem quem isolou, para testar.
Estou falando dela porque se trata de uma forma tradicional, xamanica de ingestão dos cogumelos, e para quem se interessar procurar saber quem ela foi, porque conhecer o uso tradicional e essas pessoas chave dessa cultura, para mim é essencial para entender o que são os cogumelos , porque se usa , como se usa e pra que se usa. O cogumelo não é só um barato para se curtir, eles tem aplicação muito séria e podem ajudar muito a gente na nossa vida, se tivermos o respeito necessário para aprender o que eles tem para nos ensinar.
 
Última edição:

Luiza_franco96

Esporo
Membro Novo
O fato de bater no liquidificador com um limão inteiro, por exemplo, só tirando as sementes, não degrada em nada as substâncias do cogu ?
 

PedroMelco

Esporo
Membro Novo
Fresco é mais forte sim irmão, tanto em intensidade quanto duração. Pessoal fala que tem que secar bem e guardar bem o mais rápido possível. Eu faço isso, mesmo assim pra mim o bom é consumir logo.
E eu também fazia altas frescuras tipo comer com açaí, o que tira o gosto do cogumelo totalmente. Até ter a viajem forte, ai o cogumelo mandou eu rever minha relação com ele. De lá pra cá eu faço como a Maria Sabina ensina, e como de 2 em 2, até o fim do talo, tudo. Porque "eles gostam de trabalhar em par, ou casal, e nao gostam de ficar sem os pés" ,por isso se come todo o talo. Sentindo bem o gosto.
Essa mulher era uma pessoa fantástica de um conhecimento íntimo dos cogumelos, foi curandeira e era conhecida como a sabia dos cogumelos. Muita gente do mundo todo procurou ela, até o Hoffman quando foi estudar sobre o xamanismo e uso tradicional das substâncias enteógenas procurou ela, e foi a ela quem ele deu os comprimidos de psilicibina, que foi ele tambem quem isolou, para testar.
Estou falando dela porque se trata de uma forma tradicional, xamanica de ingestão dos cogumelos, e para quem se interessar procurar saber quem ela foi, porque conhecer o uso tradicional e essas pessoas chave dessa cultura, para mim é essencial para entender o que são os cogumelos , porque se usa , como se usa e pra que se usa. O cogumelo não é só um barato para se curtir, eles tem aplicação muito séria e podem ajudar muito a gente na nossa vida, se tivermos o respeito necessário para aprender o que eles tem para nos ensinar.
Obrigado pela contribuição! Eu "conheci" (ouvi falar pela primeira vez) a Maria Sabina por meio da leitura do livro de Michael Pollan que, diga-se de passagem, é uma obra prima jornalística, reunindo muita informação de todas as perspectivas possíveis de tanta gente que fez história no estudo e disseminação do cubensis. Pelo relato dele trazido no livro, senti que ela e sua (de seu povo) relação com o cubensis fora violada de certa forma pelo contato curioso do "homem branco". Tem até um fragmento de citação dela onde supostamente havia lamentado o descobrimento dos cogumelos por parte dos "cientistas" da década de 50~60.

Enfim. Apesar de eu não ter o lado espiritual, místico ou religioso como balizador do meu interesse pelos cogumelos, sua provocação me deixou animado para desenvolver qualquer habilidade nesse campo, mesmo que no começo isso apenas signifique a ingestão deles da maneira mais natural possível.

Só pra constar. Me interessa particularmente a suposta potência psicogênica e terapêutica de transtornos comuns do nosso tempo (algo que terapia farmacológica tradicional não cansa de fracassar). Em certo sentido, o uso como algo de um "hacking" cerebral, abusando do caráter de sugestionabilidade que a psilocibina possui, uma espécie de experimentalismo particular.

Obrigado!
 
Superior