Teonanacatl.org

Aqui discutimos micologia amadora e enteogenia.

Cadastre-se para virar um membro da comunidade! Após seu cadastro, você poderá participar deste site adicionando seus próprios tópicos e postagens.

  • Por favor, leia com atenção as Regras e o Termo de Responsabilidade do Fórum. Ambos lhe ajudarão a entender o que esperamos em termos de conduta no Fórum e também o posicionamento legal do mesmo.

Como ter o controle nas suas mãos? Ouça Matisyahu!

Mortandello

O tal do mortan
Cultivador confiável
01/11/2005
7,007
98
Mauá - ABC - SP
Materia Retirada de http://surforeggae.ig.com.br/ aguardando autorizaçao.

Matisyahu
Matisyahuband.jpg

Matthew Miller nasceu em West Chester, Pensilvânia em 30/Junho/1979, correspondendo ao Calendário Judaico de 5 de Tamuz de 5740. Depois de crescido, os pais de Matisyahu o enviaram para uma Escola Judaica onde estudava duas vezes na semana, porém como muitos outros garotos, ele resistiu às horas adicionais da escola e fora frequentemente tratado com expulsão por perturbações durante as aulas. Aos 14 anos, Matthew Miller adquiriu um estilo de vida Hippie. "Entrou na onda" das pessoas "Dead-Head", cultivou ’dreadlocks’ e gastou seus ’Birkenstocks’ (sandálias) durante todo o inverno. Ele tocava seus bongos na lanchonete e aprendia a fazer ’Beat-box’ no fundo da sala de aula. No 3º ano do colegial, embora estivesse em sua época em que não tinha nenhuma preocupação, Matisyahu não conseguia ignorar o vazio em sua vida. Depois de quase queimar sua sala de química, sabia que sua missão deveria começar imediatamente. Decidiu fazer uma viagem para o Colorado. Afastado de sua vida suburbana nas planícies brancas, Matisyahu teve a oportunidade de analisar e ter um olhar mais introspectivo sobre si contemplando seu ambiente. Estava ele na paisagem impressionante da “Rocky Mountain”, quando teve uma visão: era G-d (Deus).

Após sua viagem para o Colorado, sua curiosidade espiritual aumentou e Matisyahu fez sua primeira viagem à Israel. Lá, pela primeira vez em sua vida, sentiu uma conexão ao G-d que viu em Colorado. Israel era um ponto de giro principal. Matisyahu aproveitou o tempo que gastou lá, rezando, explorando, e dançando em Jerusalém. Em cada canto encontrou sua identidade judaica até então inativa em sua mente. Sair de Israel provou ser uma transição difícil. De volta nas planícies brancas, Matisyahu não soube manter sua nova conexão com o judaísmo. Abatido, desanimado saiu do colégio e começou a seguir a banda Phish em uma tour nacional. Na estrada, Matisyahu pensou seriamente sobre sua vida, sua música, e sua sede pelo judaísmo.

Após alguns meses ele retornou para casa. Por este tempo seus pais insistiram para que ele se “endireitasse” e fosse para uma escola numa região selvagem de Bend em Oregon. A escola incentivava os exercícios artísticos e Matisyahu tirou vantagem deste momento para aprofundar-se mais em sua música. Ele estudou reggae e hip-hop. Semanalmente ele ia a um open-mic onde cantava, fazia seu beat-box, e era capaz de fazer quase qualquer coisa para manter e aguçar sua criatividade. Foi aí que começou a desenvolver seu estilo reggae-hip-hop. Depois de dois anos “lutando”, aos 19 anos Matisyahu volta para Nova York um homem mudado. Mudou-se para a cidade para continuar afiando seu estudo musical, e também começou a se interessar por teatro. Durante este tempo, foi ver o Carlebach Shul, uma sinagoga no lado ocidental, bem conhecida por ser amigável à energia hippie e ao seu canto exuberante. Isto fortaleceu mais sua alma, favorecendo o poder místico da música judaica hassídica. Agora, em vez do beat-box no fundo da sala de aula, ele ia para o telhado da escola orar. (Sendo religioso ou não, ele não nasceu para ficar em salas de aula).

Ao estudar na escola nova, Matisyahu escreveu uma letra intitulada "Echad" (One). A letra era sobre um menino que se encontrou com um rabino hassídico no Square Park em Washington e através dele se tornou religioso. Logo após ter feito a letra, a vida de Matisyahu imitou estranhamente sua arte. Ele se encontrou com o rabino Lubavitch no parque, iniciou-se aí sua transformação de Matthew para Matisyahu. Ele que já foi céptico da autoridade e de suas regras, começou então a explorar e finalmente adquirir o estilo de vida do hassídico Lubavitch. Prosperou na disciplina e na estrutura do judaísmo, tentando cada vez mais entender a Lei Judaica. A filosofia de Chabad-Lubavitch provou ser um guia poderoso para Matisyahu. Cercou-o com o diálogo espiritual e o desafio intelectual que tem procurado desde a década passada. O distúrbio e a frustração de sua busca precipitada, e agora, 2 anos mais tarde, Matisyahu vive em Crown Heights, dividindo seu tempo entre o estágio e o yeshivá.

Combinar os sons de Bob Marley e Shlomo Carlebach, com toda sua originalidade e interpretação é edificante, uma forte experiência para todos. Mesmo o mais pessimista em seus shows é inspirado por sua habilidade de transmitir de forma honesta sua mensagem, que fala sobre fé e espiritualidade. Sua dedicação é fazer com que sua mensagem ganhe respeito. É naquele momento efêmero quando nosso cepticismo derrete e nossas almas se elevam que Matisyahu entra com seu crescente som da fé.

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

Devido a sua opção religiosa, Matisyahu não faz shows às sextas. "Da noite de sexta-feira até o pôr-do-sol de sábado, eu não faço shows," diz ele. "Portanto, não toco nas sextas. E sábado à noite, após às 20:00h, já está bem escuro, por isso tocamos."

Questionado se ele recebe alguma crítica dos outros judeus por ter escolhido essa carreira, Matisyahu diz: "Não muito. A mensagem do movimento Lubavitch está sendo divulgada e devemos pegar seus talentos e usar a música, o rádio e a TV para tentar causar um bom impacto no mundo, ao invés de nos isolarmos”.

icone_enchoice.gif
Clique aqui e veja a tradução de "Youth".

icone_enchoice.gif
Tradução e Adaptação:
Tiagueira * RaiZioN

Site oficial : http://www.matisyahu.org

Vídeos

Matisyahu
Ao vivo com "King Without a Crow"
Duração: 04:52
Gênero: Reggae




Matisyahu
Clip de "Youth"
Duração: 03:56
Gênero: Reggae




Matisyahu
Clip de "Jerusalem"
Duração: 03:07
Gênero: Reggae




Matisyahu
Clip de "King Without a Crown"
Duração: 02:38
Gênero: Reggae



Discografia
maticd01.jpg

Shake Off The Dust...Arise
maticd02.jpg

Live at Stubb’s
matisyahucd03.jpg

Youth
matiscd04.jpg

No Place to Be

Se quiser saber mais:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Matisyahu
http://revistaalterna.blogspot.com/2006/09/no-conozco-la-historia-de-jess.html
http://tcelestino.blogspot.com/search/label/matisyahu
http://colateral.com.br/site/posts/304
 
cara so vc mesmo , bom trabalho. olha so ,eu tive uma ideia:luz: vc podia fazer outros thread como esse ,de outros artistas que todo maluco preza aqui no forum. como o BOB MARLEY. como esse com botao de asista.
 
super.

em tempos de guerra religiosa, eis que surge um novo popstar no ocidente: um caretissimo judeu ortodoxo, lançando mensagenzinhas agua com açucar pra consciencia mal lavada da cultura americana se sentir um pouco mais leve...

é inacreditável como esse tipo de lavagem cerebral midiatica norte americana encontra espaço e ressonancia na falta geral de critica que domina o lado de cá do império.

e o povo acha lindo mesmo!

que fofinho, né, olha só que radical essa barbichinha religiosa, ele respeita o deus do antigo testamento e não faz show sexta feira, nossa, que ousado, que moderno! quanta atitude! esse cara é mesmo super hiper transcendente!

um exemplo a ser seguido por jovens de todas as culturas, não acham?

o pentagono e a cia devem estar adorando essa historia (parece até encomenda deles).

ai que saudades do jim morrison...
 
As pessoas se preocupam demais com a religião e com a política que esquecem de se preocupar com elas mesmas.
 
Eu adoro regge mas xuxa eu não gosto acho q eh musica gospel até bob ta no meio :neg: :neg: ... gosto dos regges de raiz q não tem nada a ver com isso e aposto q muitos aki desconecem eu vou tentar reunir informaçoes e vou faser um post aki pra galera conhecer ...

até
 
super.

em tempos de guerra religiosa, eis que surge um novo popstar no ocidente: um caretissimo judeu ortodoxo, lançando mensagenzinhas agua com açucar pra consciencia mal lavada da cultura americana se sentir um pouco mais leve...

é inacreditável como esse tipo de lavagem cerebral midiatica norte americana encontra espaço e ressonancia na falta geral de critica que domina o lado de cá do império.

e o povo acha lindo mesmo!

que fofinho, né, olha só que radical essa barbichinha religiosa, ele respeita o deus do antigo testamento e não faz show sexta feira, nossa, que ousado, que moderno! quanta atitude! esse cara é mesmo super hiper transcendente!

um exemplo a ser seguido por jovens de todas as culturas, não acham?

o pentagono e a cia devem estar adorando essa historia (parece até encomenda deles).

ai que saudades do jim morrison...
pra mim ter o controle nas maos é colocar um BOM som, nao só no sentido de boas letras, mas tambem boa musica, boa composiçao e bons arranjos.
nao é pouca porcaria.
to pouco me fodendo pro fato dele ser judeu - isso pode ter sido o chamariz- mas de tempos em tempos aparece alguem com musica SIMPLES, que pode ser utilizada pra evitar o ENZEDAMENTO da alma.
acho que MUITA gente deveria ouvir MAIS musica SIMPLES, e evitar de ficar pensando em besteira.
eu gosto do som, nao dele.
eu mesmo poderia ter composto as mesmas musicas - e tenho certeza que teria feito tao bem ou melhor que ele.
o fato é que o canal que ele abriu direto com a alta consciencia me atrai, mais que sua filosofia ou sua maneira "cool" de ser.
careta sim, mas as mensagens sao positivas.:pos:
 
eu n gostei desse som nao

reggaezinho mixuruca misturado c rock...
 
eu n gostei desse som nao

reggaezinho mixuruca misturado c rock...
entao se quer ter o controle em suas maos, de outra maneira - ouça WANDER WILDNER com EU TENHO UMA CAMISETA ESCRITA EU TE AMO.
foto.jpg

Wnader, o FEIO MAIS BONITO, O LOUCO MAIS CARETA,
resenha108_foto.jpg


Eu Tenho Uma Camiseta Escrita Eu Te Amo

Wander Wildner

Composição: Wander Wildner – Ed. Doberman
Eu tenho uma camiseta escrita eu te amo
Parece uma grande bobagem mas é o que eu sinto quando estou voando e eu tô voando
Eu fico pelado no quarto vendo a sua foto
Parece uma grande bobagem mas é o que eu faço quando estou de porre e eu tô de porre

{Refrão}
Se eu pudesse eu ficaria sempre junto de você
Se eu pudesse eu estaria sempre perto de você
Se eu pudesse eu estaria ouvindo o seu coração
Se eu pudesse eu não faria nada nem esta canção

Eu tenho uma camiseta escrita eu te amo
Parece uma grande bobagem mas é o que eu sinto quando estou voando e eu eu tô voando
Eu fico pelado no quarto batendo punheta
Parece uma grande bobagem mas é o que eu faço quando estou porreta e eu tô porreta

{Refrão}
Se eu pudesse eu ficaria sempre junto de você
Se eu pudesse eu estaria sempre perto de você
Se eu pudesse eu estaria ouvindo o seu coração
Se eu pudesse eu não faria nada nem esta canção

{Refrão}
Se eu pudesse eu ficaria sempre junto de você
Se eu pudesse eu estaria sempre perto de você
Se eu pudesse eu estaria ouvindo o seu coração
Se eu pudesse eu não faria nada nem esta canção

o clipe da musica eh MUITO bom, MUITO psicodelico e ainda assim MANTEM O CONTROLE EM SUAS MAOS.
:eek:k::eek:k::eek:k:
16226.gif
 
"Música é a expressão da alma"


Boca...

gostei dos autógrafos.

Nazi , Edgar Scandurra , André e Gaspa do IRA! ótima turma.


Quando ao Wander.... sabe que ele é daqui né? é sangue bom!
Não imaginava que vc conhecia o trabalho dele.

paz e luz !
 
Ha! O Wnader é d+! O que eu não gosto do som dele eu gosto Dele!
Camarada!!
 
Back
Top